Tudo sobre intercâmbio nos Estados Unidos


Fazer um intercâmbio para os Estados Unidos é o sonho de milhares de pessoas dos mais diferentes lugares, e ir para a terra do Tio Sam é uma oportunidade agarrada por muitos devido à possibilidade de mudança de vida.

Além de ser uma das maiores potências mundiais e referência em cultura, economia e outros setores da sociedade, os Estados Unidos se tornam um atrativo inconfundível, e os brasileiros estão entre os que mais viajam ao país, ocupando a oitava colocação.


De acordo com o levantamento feito pelo Open Doors Report on International Educational Exchange, divulgado pelo Institute of International Education, cerca de 14.897 brasileiros viajaram com o objetivo de intercâmbio para os Estados Unidos entre os anos de 2021 e 2022, após a pandemia.

Os números indicam um aumento de 64% quando comparados com o relatório feito anteriormente. Além disso, 49% dos brasileiros que viajam para lá vão com a intenção de cursar algum tipo de graduação.

Para saber tudo que precisa e fazer uma bela viagem aos EUA, pesquisamos depoimentos e opiniões de brasileiros que já viajaram para lá, além de dicas fornecidas por eles.

Nossas fontes foram vídeos, fóruns, reddit e redes sociais. Ao terminar de ler a matéria, pode ter certeza que todas as suas dúvidas foram tiradas. Então, faça suas malas e aproveite seu intercâmbio nos Estados Unidos!

O sonho americano pode se tornar real

intercâmbio nos Estados Unidos

O ‘American Dream’ ou o ‘Sonho Americano’ é bem conhecido ao redor do globo.

A ideia é que quem fosse tentar a sorte nos Estados Unidos conseguisse se estabelecer e viver dignamente, e até mesmo fazer fortuna por lá, independentemente de qual país fosse e de sua classe social.

No entanto, isso não acontece para todos; sabemos que a realidade é bem diferente e várias questões impossibilitam que isso seja verdade para todas as pessoas.

Além disso, algumas pessoas preferem atravessar ilegalmente a fronteira e são deportadas porque estão ilegais no país.

Mas, se você escolher o intercâmbio como forma de ingresso, não se preocupe. Você não terá problemas, pois terá a documentação em dia.

Viajar para a terra que ama comer bacon no café da manhã pode mudar a sua vida.

O intercâmbio pode lhe proporcionar muito mais do que o aperfeiçoamento do inglês, também te fará conhecer novas pessoas e criar laços de amizade, descobrir mais sobre a história dos EUA e ver pontos turísticos.

Ou seja, irá aumentar a sua bagagem sem que pague por excesso de peso.

Além disso, fazer um intercâmbio nos Estados Unidos pode fazer com que você consiga uma boa colocação profissional e até mesmo permanecer no país.

Um dos regentes da cultura mundial

Basta notar que em todo o mundo, suas músicas são tocadas e cantadas, mesmo por pessoas que não são fluentes na língua inglesa, para obter a noção do tamanho da influência cultural que os Estados Unidos carregam em poucos minutos.

Ainda, seus filmes e séries não ficam atrás e são referência para quem gosta desse tipo de lazer. Inclusive, muitas obras cinematográficas brasileiras têm inspirações nos trabalhos criados pelos norte-americanos.

Além disso, o país também foi o berço do surgimento de muitos gêneros musicais como o jazz, hip hop, blues e rock. Grande parte dos maiores nomes da indústria musical nasceram lá, o que os torna novamente uma potência nessa área.

Já a educação nos EUA é um caso à parte. Enquanto no Brasil as escolas particulares são um exemplo de ensino educacional que prepara melhor os alunos para ter acesso às universidades, lá isso não tem muita diferença.

O governo dos Estados Unidos disponibiliza gratuitamente escolas públicas com um ensino muito bom para todos os estudantes. Existem algumas diferenças em uma instituição ou outra, mas nada que faça dizer que a educação pública é ruim.

Assim, até filhos de pessoas de classe média alta estudam em escolas públicas. As pessoas muito mais ricas geralmente escolhem escolas particulares para seus filhos visando a oportunidade de estabelecer networking.

O networking é justamente para que os super ricos tenham contato com pessoas de mesma classe social.

Nenhuma faculdade do país oferece cursos gratuitamente; assim, o ensino superior é totalmente pago.

Em geral, a ideia é que as famílias guardem e economizem dinheiro ao longo da educação básica com o objetivo de pagar pelo curso a ser feito por seus filhos. No entanto, em algumas ocasiões, por vários fatores, isso não é possível.

Um intercâmbio aos Estados Unidos não se resume apenas a Disney

Os nativos e os visitantes do país apreciam bastante a arte, história e turismo em geral. A cada momento em que você faz um intercâmbio nos Estados Unidos, pode encontrar algo importante e admirável.

Para facilitar sua escolha de destino, fizemos uma lista de algumas cidades e o que elas podem oferecer enquanto você as visita.

Procuramos conhecer a opinião de intercambistas que tiveram a oportunidade de estudar no país e selecionamos as melhores cidades americanas viajar, estudar e aproveitar os tempos livres conhecendo mais o país.

No entanto, lembre-se de que seu destino ideal deve estar de acordo com seus objetivos e as cidades que não aparecem nesta lista selecionada não são menos importantes (na verdade, não seria possível incluir todas elas nesta matéria!).

Nova York

Em Nova York, por exemplo, existem lugares como a Broadway, uma avenida que atravessa as cidades de Manhattan e do Bronx.

Por isso, a cidade é famosa e conhecida pelos 41 teatros profissionais que contam com 500 lugares ou mais em cada um deles. As maiores peças teatrais já feitas na história passaram por lá.

Continuando em NY, o Madison Square Garden é também uma das referências.

A arena multiuso é usada para shows de grandes artistas, bem como para eventos esportivos, como lutas de boxe e jogos do New York Rangers (NHL) e do New York Knicks (NBA).

Fora isso, a cidade ainda é a residência do famoso Empire State, um arranha-céu de 102 andares, sendo o quinto maior dos Estados Unidos.

Por fim, um dos parques mais conhecidos do país é o Central Park que fica localizado em Nova York.

Enquanto assistimos filmes, séries, programas de TV e até clipes musicais, podemos facilmente identificá-lo nas produções.

Washington D.C.

A capital do país é Washington D.C. e lá é o centro político de uma das maiores líderes mundiais.

Para compreender melhor, os Estados Unidos possuem relevância em organizações internacionais como a ONU e a OTAN.

É uma cidade histórica e que sabe preservar tudo que seu país passou. Por isso, lá tem diversos memoriais, como o da Segunda Guerra Mundial, de Franklin Roosevelt, Martin Luther King, dentre outros localizados no National Mall.

Ainda, os museus são um dos pontos fortes da cidade em termos de arte.

Quer saber como funciona o governo? Visite o Library of Congress. A Biblioteca do Congresso disponibiliza passeios gratuitos onde mostram a arquitetura e a história local.

Outro ponto interessante é o Capitólio, onde dá para entender melhor como o governo administra e lida com as diversas situações que lhe aparecem.

Se você é adepto ao lazer ao ar livre com contato direto com a mãe natureza, porque não fazer uma trilha ou praticar ciclismo? Virgínia e Maryland são os locais ideais na capital americana para isso.

Você encontrará cachoeiras, rios, montanhas, trilhas de ferro antigas, fazendas e outras coisas mais que podem fazer você ir para um tempo antigo quando os EUA estava se tornando o país que é hoje em dia.

Chicago

A cidade de Chicago é uma das que são referência quando o assunto é a arquitetura urbana mundial. Foi uma das pioneiras na construção de arranhas-céus que estamos acostumados a ver pelo mundo. 

Além disso, seus parques também são bastante conhecidos, tendo o Millennium Park um dos mais recentes e conhecidos. Nele está localizada a escultura de Cloud Gate que possibilita ver o reflexo de outras estruturas e pessoas.

Em Chicago, também é fácil visitar museus de arte contemporânea, científicos e da história da humanidade.

Fora isso, a cidade tem o mais antigo zoológico do país, o Lincoln Park Zoo criado em 1868 é que é o lar de diversos animais dos mais diferentes habitats. As visitas são gratuitas o ano todo.

Seattle

intercâmbio nos Estados Unidos

Um dos melhores pontos dos EUA para quem quer ter contato com uma boa gastronomia, cultura, paisagens naturais e modernidade.

Seattle consegue unir tecnologia, inovação, cultura e comércio junto com um ar descolado e que oferece vários pontos turísticos em sua extensão.

Com cerca de 15% da população da cidade composta por moradores do continente asiático, é uma das maiores com maior presença desse grupo demográfico.

Talvez por isso a tecnologia seja um dos muito forte na região, com sedes da Microsoft e da Amazon presentes lá, possuindo um bom centro tecnológico.

Além disso, também é a capital do café, contando tanto com a sede do Starbucks quanto sendo um dos maiores centros de torrefação do mundo.

Como se já não fosse o bastante, também abriga a maior fábrica de aviões do mundo e foi onde o Boeing foi criado.

Já quando o assunto é música, Seattle também não fica de fora.

A cidade do estado de Washington (não é a mesma coisa que a capital Washington D.C.) é o berço do rock grunge e de nomes como Alice in Chamas, Kurt Cobain, Pearl Jam e Nirvana.

Por fim, suas paisagens naturais também chamam atenção. Sua rede de rios, lagos e mar é imensa o que possibilita casas flutuantes, táxis aquáticos e outras coisas.

Estudar em Seattle poderá agregar muito mais do que na área acadêmica, pois ela reúne aspectos muito além do que a gente poderá ver dentro de uma sala de aula.

Los Angeles

intercâmbio em los angeles

A cidade conhecida por ter o letreiro de Hollywood e a calçada da fama tem praias, restaurantes com a culinária de vários países, museus, parques temáticos e a noite super agitada na cidade dos anjos.

É verdade que o trânsito na cidade pode afastar qualquer turista, mas saindo da região badalada, devido a sua fama no mundo cinematográfico, pode fazer você continuar a desejar ir para L.A.

Los Angeles é recheada de lugares culturais. O Getty Center é um deles, ele abriga várias exposições, sejam elas permanentes ou temporárias.

Craft & Folk Art Museum é outro museu e na cidade, porém voltado à arte folclórica e artesanal.

O Architecture & Design Museum é um dos lugares que você pode visitar enquanto faz um intercâmbio nos Estados Unidos, especialmente se você é um amante de arquitetura e design.

A cidade tem boas opções de instituições acadêmicas com alguns cursos que são os melhores do mundo quando comparados com outras universidades.

Além disso, possui várias escolas de idiomas espalhadas pela região

Boston

intercâmbio em boston

Boston é o berço de duas das melhores universidades do mundo, Harvard e MIT (Massachusetts Institute of Technology).

Ela une historicidade, por já ter sido o centro cultural do país, com a jovialidade norte-americana. 

É uma cidade universitária e, por conta disso, seus moradores conseguem acesso a tecnologia e a informação com facilidade.

A arquitetura é outro grande fator positivo, o moderno e o clássico inspirado nas instalações britânicas coloniais.

Ainda, a política e a história caminham juntas na cidade. Boston foi o palco de uma das grandes revoltas norte-americanas na época que lutavam pela Independência Americana.

A clássica revolta do chá foi na cidade, outros protestos envolvendo esse período também tiveram a cidade como cenário de fundo.

Miami

intercâmbio em miami

A cidade americana mais brasileira é Miami. O clima tropical, suas praias e o não pagamento de impostos são um grande atrativo para quem quer fazer um intercâmbio nos Estados Unidos ou morar por lá.

Além dos brasileiros, a cidade é a casa de cubanos, argentinos, venezuelanos e outros latinos que procuram refúgio devido a situações de insegurança e pobreza em seus países de origem. 

Enquanto faz seu intercâmbio, a cidade de Miami oferece arte e cultura além das praias e noite agitada.

O Museu de Arte Perez é a união de uma bela arquitetura com artes de artistas locais e internacionais, por exemplo.

Já se quiser ir para Havana em experiência gastronômica, musical, cultural e entretenimento, visite Little Havana. O local também junta lojas e restaurantes especializados que fazem com que se senta em Cuba.

Mas se quiser contato com a natureza, o Parque Nacional Everglades é uma ótima opção. Ele protege cerca de 20% da área original de Everglades devido à fragilidade de seu ecossistema.

Em geral, Miami é uma cidade que te fará se sentir bem próximo do Brasil devido vários brasileiros morarem ou que fazerem intercâmbio na região.

Ela oferece bons lugares para visitar e além disso, aperfeiçoar o seu inglês.

Tipos de intercâmbio nos Estados Unidos

Fazer um intercâmbio nos EUA abrirá muitas oportunidades em sua vida, mas cada intercambista pode escolher o que é melhor para sua viagem.

Você pode apenas querer aperfeiçoar a língua inglesa, como também estudar um curso de nível superior ou até mesmo realizar um estágio.

Contudo, diferente do Canadá, um intercâmbio para os Estados Unidos vai demandar de uma maior quantia de dinheiro, pois o dólar americano é uma das moedas mais valorizadas do mundo.

Mas os custos iremos falar daqui a pouco nesta mesma matéria!

A seguir, listamos os tipos mais comuns escolhidos pelos estudantes.

Escola de idiomas

Esse é dedicado para quem quer ser fluente no inglês. Muitas escolas nos EUA são específicas para isso e atendem estudantes internacionais de vários países, incluindo o Brasil.

O curso costuma ter duração de quatro semanas até a 1 ano, vai depender da escolha que o intercambista irá fazer.

Alunos que tenham o inglês básico ou mais avançado podem realizar um intercâmbio sem problemas.

Porém, para aqueles com nível intermediário, uma boa opção é fazer uma combinação oferecida por instituições de ensino superior, com cursos e programas voltados para esse fim.

Inglês com outras atividades

Você ainda pode aliar a imersão no inglês com atividades extracurriculares.

Por que não estudar artes, culinária, fotografia ou esportes enquanto melhora sua proficiência na língua estrangeira? 

No entanto, esse tipo de intercâmbio tem um público específico, pessoas que já têm o nível intermediário e buscam a fluência.

O tempo do curso normalmente é de uma semana a três meses e o investimento a ser feito também determina a sua duração.

Au Pair

Esse é outro intercâmbio que precisa do inglês intermediário.

Em resumo, o intercâmbio de au pair é para trabalhar como babá em uma das famílias inscritas e selecionadas pelo governo ara o programa.

Quando são contratadas, as intercambistas moram na casa da família, por isso é necessário que sejam pessoas com facilidade em se adaptar a rotinas e que saibam lidar bem com crianças.

Além disso, é importante que tenha experiência comprovada de no mínimo 300 horas em cuidado infantil, mas não podem ser crianças de sua própria família.

Geralmente, o trabalho diário será de 10 horas e as babás tem um final de semana por mês de folga. Nos EUA, também possuem o direito de um dia e meio de folga na semana, assim como o trabalho semanal é de no máximo 45 horas.

Outros benefícios garantidos pelo governo são: seguro saúde com cobertura, quarto individual, refeições diárias pagas pela família e férias remuneradas de duas semanas.

Fora isso, cada Au Pair recebe em média US$195,75 por semana e também têm direito a bolsa de estudos de US$ 500 para a área que desejar.

A duração do intercâmbio é de no mínimo de 12 meses podendo ser prorrogado para mais 12, totalizando 24 meses ou 2 anos.

O governo ainda dá 30 dias extras para continuar legalmente no país, após o término do vínculo de Au Pair.

Por fim, o governo norte-americano estabelece esse intercâmbio nos Estados Unidos apenas para mulheres de 18 até 26 anos.

Esse intercâmbio pode ser o ideal para os seus objetivos já que terá a oportunidade de melhorar o inglês, fazer outros cursos e aprender na prática a rotina das famílias norte-americanas.

High School

O High School nos Estados Unidos corresponde ao ensino médio brasileiro. Esse intercâmbio permite que os estudantes de nosso país possam cursar uma parte no exterior.

Assim, ele tem a possibilidade de colocar em prática o inglês, aprender uma nova cultura e entender melhor o que os nativos da terra do Tio Sam fazem em seu cotidiano.

Como funciona o high school nos EUA?

Existem dois programas (F-1 e J-1) para alunos internacionais, mas os dois são destinados a escolas públicas norte-americanas. 

Programa F-1

O F-1 corresponde ao programa mais flexível para High School.

O adolescente irá residir de forma paga em casas de famílias selecionadas, e poderá incluir atividades extras e práticas esportivas. O aluno tem a opção de escolher o local que deseja estudar.

Ao término do programa, ganha um certificado comprovando a participação para, quando voltar ao Brasil, fazer a equivalência e não sair prejudicado no término de seu ensino médio.

As vantagens desse tipo de programa são que a ajuda nos estudos e aulas em inglês estão inclusas.

Ainda, os pré-requisitos são mínimos:

  • Precisa ter entre 14 a 18 anos;
  • Possuir um bom desempenho escolar; e
  • Inglês intermediário.

O custo aproximado por semestre é de US$ 20.000,00.

Programa J-1

Já o programa J-1 é mais econômico, porém, mais restritivo.

Um exemplo é que os alunos não têm a possibilidade de escolher o local que querem estudar, mas conseguem selecionar a região ou estado mediante um pagamento adicional.

Caso não consiga ir para o que escolheu, o dinheiro será reembolsado e fará o intercâmbio sem a opção selecionada.

Além disso, as casas de famílias são voluntárias e pode haver a possibilidade de não ter o diploma do High School.

Entre outras diferenças está que o intercambista não terá aulas de inglês e nem atividades extras ou esportivas.

Os requisitos são maiores se comparados à F-1:

  • A idade mínima é de 15 anos e a máxima de 18,5 anos;
  • Estar matriculado no ensino médio;
  • Notas acima da média escolar de onde está estudando;
  • Estar bem de saúde física e mental;
  • Quem tiver alergias, restrições alimentares ou algum outro problema de saúde deve pedir uma autorização previamente para continuar com o requerimento da matrícula.

Ensino Superior

Você ainda pode fazer um intercâmbio para cursar uma graduação, pós, MBA ou doutorado. Ao contrário do Brasil, o processo para entrar em uma universidade nos Estados Unidos na graduação é bem diferente.

Como funciona o SAT dos EUA?

Aqui no Brasil, a entrada na graduação costuma ser pela prova do ENEM, já nos EUA existem outros processos.

O SAT (Scholastic Aptitude Test) é bem parecido com o nosso vestibular e ele é bem conhecido por quem deseja estudar em alguma faculdade norte-americana.

A sua administração é feita pelo College Board e tem cobertura nacional, o que faz com que o teste seja aceito em todas as universidades do país já que ele equivale a um exame de forma unificada.

São três áreas específicas: escrita, matemática, linguagem e interpretação textual. Já a sua duração é de 3 horas e 50 minutos.

Cada área tem pontuação máxima de 800 pontos totalizando 2.400. A pontuação perfeita no exame é de 1.600 e uma composta média corresponde a 1.050.

Contudo, dependerá da forma de avaliação de cada universidade para o aluno ser aceito.

Além do tradicional, também existe o SAT II, que avalia de uma maneira específica com uma prova de 1 hora de duração.

Algumas faculdades fazem essa solicitação e o aluno ainda pode selecionar quais matérias ele tem interesse maior e quais ele pode apontar as suas habilidades.

No Brasil, há a possibilidade de fazer a prova sem ir aos Estados Unidos, basta entrar no site do College Board e fazer a inscrição.

Lá ainda dará as informações sobre locais dos exames e prazos. Após a inscrição, paga-se uma taxa que costuma ser de US$ 100, sem contar o valor da redação.

O que é o ACT (American College Testing)?

O ACT (American College Testing) é outra prova de admissão para as instituições americanas.

É mais recente do que o SAT, e tem mais áreas de avaliação, como: Ciência, Matemática, Inglês, Leitura e Redação, mas essa última é opcional.

Cada questão tem um tempo para ser feita e, com isso, se torna um exame de velocidade.

A duração total dela pode passar das três horas e meia. Mas tem intervalos de 10 minutos após a avaliação de Matemática e de cinco minutos antes da redação. 

Para estudantes de fora do país, a prova é feita apenas por meio de um computador.

Ela pode ser feita várias vezes no ano, no entanto, custa US$ 150 e se tiver a adição da redação serão mais US$ 16,50. A inscrição é realizada no site do ACT.

O que é o AP (Advanced Placement)?

O Advanced Placement ou AP é organizado pelo College Board e tem o objetivo de preparar alunos do ensino médio para universidade. Em certa medida, é como o pré-vestibular no Brasil.

O AP faz com que seus alunos sejam aptos a fazerem um bom exame de admissão e sejam aceitos.

Geralmente, professores e especialistas se reúnem para desenvolverem exames e currículos semelhantes aos aplicados no SAT.

Para poder fazer o Advance Placement, é preciso que a escola que você esteja matriculado tenha a permissão para a realização dos exames.

No Brasil, existem 19 escolas credenciadas para esse fim de várias regiões do país.

Contudo, não são todas as faculdades que utilizam o AP na admissão, mas elas podem dar créditos aos estudantes de bons desempenhos no teste.

Além disso, esses créditos podem ser usados para substituir matérias introdutórias por outras mais avançadas.

Agora, se a sua escola tem o AP na grade curricular, a instituição terá uma cobrança maior sobre você, pois irá avaliar o seu aproveitamento com vista o objetivo da vaga na universidade escolhida.

Uma pessoa da sua escola será a responsável em fornecer todas as informações essenciais para a inscrição, a preparação, assistir às aulas e a realização das provas.

Aqui você encontra a lista de todos cursos e exames fornecidos pela AP.

A duração do exame é de duas a três horas, mas vai depender da área de estudos da qual selecionar.

A prova é dividida em duas partes, sendo a primeira com questões de múltipla escolha e a segunda com questões discursivas.

Esse teste só é realizado uma vez ao ano no mês de maio.

O College Board cobra US$ 124 para a realização da prova, porém pode haver desconto de 32 dólares caso seja comprovado sua condição financeira.

O que é preciso para entrar em uma faculdade americana?

Ter feito atividades extracurriculares nas áreas de governança, voluntariado, esportes, artes, música, dentre outros, podem ser um fator importante para que a instituição aceite a sua entrada e estude nela.

Além disso, é necessário ter proficiência em inglês, cartas de recomendação, redação e histórico escolar.

Para pós, MBA e doutorado é importante ter esses documentos já citados junto com uma análise dos currículos e provas a serem aplicadas.

Realizar um curso de extensão pode ser a maneira mais fácil de agregar conhecimento a sua vida profissional, sem o imenso trabalho do processo seletivo e outros documentos.

Nesse casos, o que é exigido é a comprovação que têm proficiência na língua inglesa.

Além disso, os gastos neste curso são menores e sua duração também.

Faculdades renomadas como Harvard, Cornell, Stanford, Columbia e Chicago são algumas que estão disponibilizando cursos de extensão tanto presencial quanto online.

Estágio Profissional

O estágio profissional é um tipo de intercâmbio nos Estados Unidos em que as pessoas conquistam a experiência na profissão em empresas do país.

O estágio costuma ser remunerado e sua duração é de 3 a 12 meses.


As melhores escolas de idiomas nos Estados Unidos

Diante de tantas opções relacionadas a escolas de idiomas fica complicado saber qual a melhor para aperfeiçoar o seu inglês na cidade que tanto sonha.

Para isso, selecionamos algumas das melhores que te ajudarão no intercâmbio nos Estados Unidos.

Todas elas aceitam muito bem turistas brasileiros e foram recomendadas com pontos positivos e também pela qualidade e referência de cada uma delas. 

É claro que não conseguiremos colocá-las todas disponíveis nesta matéria, mas apresentamos algumas opções para facilitar a sua decisão, já que organizar uma viagem requer tempo, pesquisa e serviço de qualidade.

Kaplan International Language

Com 80 anos no ramo em ensinar inglês para alunos internacionais, a Kaplan não poderia ficar de fora da nossa lista. Por ser uma das maiores referências, ela tem recomendação de cerca de 96% de seus alunos e ex-alunos.

Ela tem escolas em nove países diferentes, mas nos EUA está localizada nas cidades de Nova York, Chicago, Los Angeles, Seattle, Santa Bárbara, São Francisco e Boston. A grande maioria fica próxima das principais universidades da região.

A Kaplan tem um método específico de ensino. O método K+ é uma metodologia combinada com uma imersão total para o ensino junto com livros exclusivos, recursos online e clubes com o objetivo dos estudantes aprenderem de forma rápida e correta.

Brooklyn School of Languages 

A Brooklyn School of Languages é considerada por muitos como uma das melhores escolas de idiomas nos EUA.

Ela fica localizada no Brooklyn em Nova York e tem um diferencial: suas aulas são ministradas ao ar livre.

Isso ajuda os alunos a entenderem melhor o cenário cultural da cidade, podendo visitar lugares históricos e importantes que irão agregar ao conhecimento.

Além disso, as turmas são separadas em adolescentes, adultos e grupos.

Ainda, ela é associada a ESL Language Travel Awards, que já possui diversas premiações como a English School of the year e a School Facility of the year.

Os valores cobrados para se estudar na escola são feitos de quatro formas:

  • Se quiser um curso de inglês padrão com 15 horas semanais irá custar US$ 350 por semana,
  • o pacote de curso combinado com 17,5 horas semanais será cobrado US$ 500 por semana.
  • Já as aulas individuais são gastos cerca de US$ 80 por aula
  • e um curso com acomodação será cobrado a partir de US$ 280 semanais.

Harvest English Institute

A Harvest também é uma das melhores escolas de idiomas presentes nos EUA.

Ela ensina estudantes desde 1999 a terem a língua inglesa como seu segundo idioma e que possam se comunicar com qualidade e sem maiores problemas.

Ela tem escolas em Newark, Orlando e Los Angeles. Com metodologias avançadas e professores aptos a ensinarem com excelência, a instituição conseguiu nota máxima do Departamento de Educação dos Estados Unidos.

O University Pathway é um programa que é oferecido pela escola e que os alunos de forma automática são admitidos por algumas universidades norte-americanas.

Os cursos são variados, o aluno pode escolher dentre o inglês intensivo, para negócios, preparação para o TOEFL, certificado TESOL, inglês recreativo e até mesmo online.

MILA International Language Academy 

A MILA International Language Academy é uma escola de idiomas que já está há 30 anos no mercado e é sinônimo de qualidade. Ela tem sedes em Orlando, Boca Raton, Miami e Jacksonville.

Mais de 50 nacionalidades de estudantes passaram pela MILA ao longo destes anos, incluindo brasileiros. Além disso, ela possui uma infraestrutura que atende as necessidades dos intercambistas.

A escola tem certificações que permitem ela funcionar e dão o crédito de sua qualidade. O CEA (The Commission on English Language Program Accreditation) é um certificado que garante que a instituição possa operar em suas unidades.

O SEVP (Student and Exchange Visitor Program é uma permissão para que a MILA possa realizar matrícula de estudantes estrangeiros mas eles deverão ter o visto de estudante (F-1 VISA).

Seus cursos são ofertados em inglês intensivo para quem não domina o idioma, semi-intensivo e inglês voltado para os negócios.

Quais são as melhores faculdades para realizar o meu intercâmbio?

Bom se o seu desejo é estudar nos Estados Unidos, mas para fazer uma graduação ou pós, é necessário saber quais são as melhores universidades e qual o processo seletivo de cada.

O top 10 de melhores faculdades do mundo de acordo com o QS Ranking, existem quatro instituições norte-americanas nesta lista. E iremos falar um pouco delas.

Massachusetts Institute of Technology (MIT)

A primeira colocada no ranking geral é a Universidade de Massachusetts.

A região é conhecida por ser forte quando falamos em educação e o MIT mostra isso. Ela é referência em cursos de engenharia, ciência e tecnologia.

Por isso, suas pesquisas ajudaram a mudar diversos conceitos em nosso mundo, como a descoberta da síntese química da penicilina, a invenção da memória do núcleo magnético e também o desenvolvimento do radar.

Atualmente, a faculdade possui 11,3 mil estudantes, sendo 4,5 mil na graduação e 6,8 mil na pós-graduação. Ela oferece 44 cursos na graduação e também cursos de mestrado.

No entanto, é uma das instituições mais concorridas e por causa disso apenas 9% dos candidatos conseguem sua admissão no MIT.

Como entrar no MIT?

Para entrar, o aluno deve realizar alguns testes e preencher a ficha. Após isso, deve ser agendada uma entrevista, no entanto, nem todos conseguem isso.

Então, a instituição entrevista apenas os melhores alunos e para quem é de fora dos Estados Unidos, o número é limitado por região.

No entanto, quem tem destaque nas áreas de artes, tecnologia, esportes, ciência e música são normalmente selecionados para estudar.

Agora para a pós, o pedido de admissão é descentralizado, e o requerimento deve ser feito no departamento do curso que queira ser admitido.

O custo para estudar no MIT é alto, em média é US$ 60 mil por ano. Porém, a faculdade disponibiliza algumas bolsas para ajudar seus alunos. A bolsa na graduação para estudantes internacionais pode chegar a US$ 32 mil. 

A política empregada é a de need-blind. Ela é basicamente um auxílio para estudantes estrangeiros onde a instituição analisa sua candidatura sem contar necessidade financeira ou não.

Isso se dá porque algumas universidades que têm essa política, reservam grandes fundos de investimento para esse objetivo.

Os cursos de pós-graduação recebem, em sua grande maioria, alunos com bolsa de estudos.

A fellowship, por exemplo, é destinada para aqueles que têm mérito. Essa bolsa depende muito do que o aluno faz. Em alguns casos o financiamento é somente com os gastos com a mensalidade, outros são pagos desenvolvimentos de pesquisa e até viagens acadêmicas.

Para conseguir bolsa demonstrando necessidade financeira, você deve preencher o Formulário para Solicitação de Ajuda Financeira a Estudantes de outros Países.

Harvard University

A universidade de Harvard figura na quarta colocação do top 10 das melhores em 2023. A faculdade já foi local de estudos de alguns presidentes dos EUA como Barack Obama e George W. Bush.

Em prêmios Nobel, já foram 150 laureados!

Ela é considerada a mais antiga do país por ter sido criada em 1636 na cidade de Cambridge, nos arredores de Boston.

Atualmente, ela possui cerca de 25 mil alunos, com 5 mil deles são estrangeiros de 140 países.

Como entrar em Harvard?

Para entrar em uma graduação em Harvard, é preciso enviar os resultados dos testes AC e SAT, assim como de comprovação de proficiência.

Além disso, também é necessário mandar cartas de apresentação e essays.

A taxa de admissão na instituição é de 5%, mostrando como é difícil para os estudantes estudarem por lá.

Mas não se desespere, a faculdade não procura apenas candidatos considerados acima da média.

Ela faz uma avaliação geral, como a trajetória pessoal do estudante a fim de decidir se irá aceitá-lo ou não.

Caso a pessoa não tenha condições de financiar seus próprios estudos, a universidade pode oferecer bolsas de até 100%. Até porque estudar em Harvard requer que seja gasto no mínimo US$ 90 mil por ano. 

Mas ela possui um fundo de 37 milhões de dólares destinados ao custeio de estudos, de pesquisas e outras coisas que estejam envolvidas com a faculdade.

O programa de Harvard é o need-blind, igual ao MIT.

Como fazer pós-graduação em Harvard?

Já para quem quer fazer uma pós-graduação, o processo é um pouco diferente. Além de comprovar a proficiência na língua inglesa, são solicitados histórico escolar e o personal statement.

Ele é basicamente uma redação em que são colocadas toda a sua trajetória acadêmica, extracurricular e também profissional.

Assim, além do seu desempenho universitário, também aponta a sua personalidade. 

Mas se você não quer concluir um curso completo em Harvard, não tem problema.

A universidade disponibiliza o intercâmbio acadêmico, em que estudantes de outras universidades podem entrar no programa chamado Visiting Undergraduate Students.

Esse intercâmbio tem duração de seis a doze meses e o requerimento para entrar é o normalmente usado para quem vai fazer um curso completo na instituição. Porém, nesta modalidade não existe a oferta de bolsas.

Harvard ainda tem o HarvardX que é uma plataforma onde são disponibilizados mais de 100 cursos online gratuitos e que podem ser feitos por qualquer pessoa em qualquer país.

Stanford University

A Universidade de Stanford aparece na quinta colocação da lista, logo atrás de Harvard.

Localizada em Palo Alto, perto da região do Vale do Silício, ela é conhecida por ter como ex-alunos e professores pessoas que fundaram empresas como Google, HP, Nike e Yahoo.

Assim, devido a sua proximidade com o Vale do Silício, ela atrai estudantes que tenham mentes criativas e que tem como objetivo criar startups e fomentar o campo da tecnologia.

Atualmente, a faculdade tem cerca de 17 mil alunos, com 7 mil na graduação e 9,5 mil na pós, além de alunos em cursos de certificação e extensão. Entre o corpo estudantil, 4,2 mil são estrangeiros, cerca de 24%.

Sua estrutura é uma das maiores nos Estados Unidos com 3 mil hectares, que incluem instalações da universidade e residências estudantis.

Como entrar em Stranford?

A seleção para entrar em Stanford é igual a de MIT e Harvard e também é bastante concorrida.

De todos os inscritos, cerca de 12,7% consegue a admissão e desse total 5% são alunos internacionais.

Os valores a serem pagos para estudar anualmente na universidade, giram em torno de 65 mil dólares, mas famílias que consigam comprovar uma renda anual de 125 mil dólares, terão isenção.

Mas isso só é possível devido ao seu fundo com mais de 16 bilhões de dólares por meio de doações.

O programa de bolsa na graduação em Stanford é o need-based. Em outras palavras, o estudante irá avaliar o quanto pode pagar e o restante a faculdade cobre.

O valor médio da bolsa para estudantes estrangeiros é de 30 mil dólares.

No entanto, esse não é o único financiamento da universidade, que também oferece o need-ware, outro tipo de auxílio financeiro, mas dependendo do que você vai precisar de bolsa irá impactar na sua admissão na universidade.

Por fim, na pós-graduação ainda tem a bolsa de Knight-Hennessy Scholars, que é destinada a estudantes com alto potencial de qualquer área.

University of California

Na décima colocação está a University of California, localizada em Berkeley é uma das referências quando se trata em economia e inovação social.

Ela possui uma das melhores bibliotecas, tendo mais de 12 milhões de livros, mapas, publicações, arquivos de áudio e vídeo e documentos de governos.

Atualmente, seus 42 mil alunos estão divididos em 30 mil na graduação e 12 mil na pós. Os alunos internacionais estão entre 6,7 mil com 3,7 mil na graduação.

Além disso, ela também está próxima do Vale do Silício e com isso, seus cursos de Ciência da Computação e Engenharia Elétrica são bem procurados.

A admissão para entrar na University of California é igual aos processos feitos pelas outras instituições aqui listadas.

A inscrição é realizada no site da própria faculdade e alguns requisitos podem ser diferentes dependendo do curso escolhido.

Quanto ao pagamento, as despesas na graduação pode chegar a 50 mil dólares e na pós 52 mil dólares.

Para conseguir uma bolsa de estudos, a universidade recomenda que o aluno procure instituições privadas que possam oferecer esse aporte financeiro.

Cursos online das universidades mais renomadas dos Estados Unidos

Assim como dito mais acima, algumas faculdades, como Harvard, disponibilizam cursos online, com certificados e, a melhor parte, gratuitos!

Então, vamos falar agora sobre essas universidades que possuem plataforma de educação online para quem ainda não pode viajar e estudar nelas de forma presencial.

MIT

A melhor faculdade dos EUA fornece cursos online para estudantes.

Mesmo sendo altamente seletiva e admitindo menos de 10% de seus candidatos, os cursos remotos permitem que estudantes de todo o mundo possam ter um certificado pelo MIT.

Com mais de 200 cursos na plataforma, a universidade fornece conteúdos de curta duração, mas também de graduação. Muitos deles têm vídeos incorporados sendo feitos por professores da instituição.

Seus cursos mais procurados estão na área de exatas, entretanto, outras áreas como de comunicação e tecnologia também são encontrados no site da edX, plataforma que tem parceria com a faculdade.

No entanto, é importante compreender a língua inglesa, pois os cursos são ministrados em inglês.

No site também são emitidos os certificados, mas eles são pagos e os valores variam de acordo com o curso escolhido.

Para se inscrever  é necessário antes fazer o cadastro ou linkar com o Facebook, Apple, Google ou Microsoft.

Depois, é só escolher o curso de sua preferência. A plataforma disponibiliza cursos de várias áreas, como Ciência, Genética, Biologia, Economia e etc.

Harvard

A quarta melhor ranqueada entre todas as instituições do mundo tem cursos online.

O HarvardX é a plataforma que agrega mais de 100 cursos. Para poder estudar nela é fácil, mas primeiro você precisa se cadastrar no site que também é feito pela parceria da edX .

Após isso, é só escolher entre diversos cursos disponíveis. Quando selecionar, a página do curso irá lhe mostrar algumas informações como a duração do curso e a estimativa semanal de quantas horas deverá se dedicar a ele.

No entanto, tem alguns cursos que o aluno pode estudar de acordo com o seu ritmo, essa modalidade é conhecida como self-paced.

Depois do término, têm a emissão de certificados, mas ele é pago. Caso não possa pagar ou não queira, isso não impede de poder acessar o conteúdo.

Saber inglês pode fazer a diferença, porque muitos cursos são ministrados nessa língua. Porém, alguns possuem legendas em português.

No início, você terá um manual que descreve os requisitos necessários para a obtenção do certificado.

Tem cursos na área de ciência, tecnologia, história, medicina, arquitetura e direito. A seguir, alguns deles.

Stanford

A universidade de Stanford também oferece cursos online. Um tempo atrás, ela tinha a sua própria plataforma mas atualmente, assim como MIT e Harvard, ela tem parceria com a edX.

Dentre seus vários conteúdos disponíveis estão cursos da área da Medicina, Música, Arte e também Ciência da Computação.

Ela também ministra por meio da língua inglesa, as legendas são no mesmo idioma.

Assim como nos casos anteriores, para adquirir o certificado é necessário fazer um pagamento que varia de acordo com o curso.

Para se inscrever, é necessário um cadastro antes. Por ser a mesma plataforma, você pode se cadastrar mais facilmente linkando sua conta do Facebook, Microsoft, Apple ou Google.

A seguir, alguns dos cursos disponíveis pela Universidade de Stanford.

University of California

A Universidade da Califórnia, que fica localizada em Berkeley, é outra instituição que ajuda alunos dos quatro cantos do planeta a fornecer cursos online.

Ela também utiliza a plataforma edX, ou seja, o cadastro na plataforma é igual ao do MIT, Harvard e Stanford.

Inclusive é válido comentar que a plataforma tem parceria com mais de 200 instituições que oferecem cursos de forma remota.

Atualmente, já são mais de 4 milhões de estudantes que realizaram os cursos de 150 países e regiões diferentes.

Os conteúdos estão em inglês então você deverá pelo menos ter o inglês intermediário.

Ela também emite certificados, mas novamente como as outras faculdades, ele precisa ser pago. Porém, isso não é empecilho para que você possa ter contato com todo o conteúdo.

A seguir, alguns deles disponíveis no site.

Preciso tirar o visto? Como fazer?

Para fazer um intercâmbio nos Estados Unidos sem maiores problemas é necessário ter o passaporte e o visto norte-americano, sendo o requerimento do passaporte é feito por meio do site da Polícia Federal.

Já o visto para dar entrada nos EUA tem algumas opções. Porém, antes de fazer a solicitação ,é importante saber qual visto é o ideal para a sua viagem.

Para isso, vamos explicar um pouco mais sobre cada um que seja específico para intercâmbio.

Uma dica: faça o pedido do visto com muita antecedência, porque o tempo para a emissão deles pode ser de até 261 dias, cerca de oito meses.  

Os Estados Unidos emitem dois tipos de estudantes.

Um deles é o F-1, que é destinado para aqueles que vão fazer um curso de idiomas ou acadêmico, ou seja, também serve para quem disso, vai cursar uma graduação ou pós.

Já o outro é o M-1, que serve para quem vai estudar cursos profissionalizantes ou voltados para a área de uma profissão que seja exigida pelo mercado de trabalho.

Au Pair ou estudantes de pós-graduação que irão para os Estados Unidos e já estejam em algum programa de uma instituição acadêmica podem solicitar esse tipo de visto.

Quem tem esse tipo de visto pode participar de programas do setor privado e até mesmo governamental.

Quanto vou gastar em uma viagem aos EUA?

Viajar para os Estados Unidos irá exigir um gasto grande com despesas como passagens aéreas, seguro viagem, moradia, transporte, alimentação.

Sem contar o valor dos custos acadêmicos e a cidade escolhida.

Atualmente, um intercâmbio para os EUA com duração de 1 ano pode custar cerca de 80 mil reais ou até mais.

No entanto, quem procura fazer o High School gasta menos, aproximadamente com 25 mil dólares é capaz de conseguir se manter no país por um ano.

Contudo, o ideal é separar uma quantia de dinheiro meses antes da viagem.

Algumas pessoas recomendam comprar passagens aéreas com antecedência, pois sai mais em conta. Assim como comprar dólares americanos em período que a cotação estiver favorável.

Para saber como se planejar para realizar um intercâmbio nos Estados Unidos, clique aqui e veja o vídeo.

Época ideal para se viajar

A baixa temporada sempre vai ser uma das melhores épocas para se viajar. Você encontrará menos turistas, preços mais baratos de passagem e também de acomodações.

Esse período corresponde ao final de março a final de maio que é a estação da primavera no país e final de setembro a final de outubro que é o outono.

Além disso, o clima será mais ameno e as práticas ao ar livre se tornam mais agradáveis.

É bom ter em mente que cidades como Nova York e Boston costumam ser mais frias. Já em lugares mais ao sul, como Los Angeles, a média de temperatura pode chegar a 17ºC.

Agora, se está à procura do verão norte-americano, que corresponde de junho a setembro é a alta temporada e o país fica mais alegre e badalado.

A demanda de turistas chegando aos Estados Unidos é bem alta e os custos também.

O inverno é conhecido por nevar em regiões mais ao norte, para nós brasileiros, isso pode ser desconfortável já que estamos mais acostumados ao calor.

Miami e Orlando são cidades que têm temperaturas mais agradáveis nessa época.

Quais são as melhores agências de intercâmbio nos Estados Unidos?

Existem muitas agências de intercâmbio espalhadas pelo Brasil, escolher uma delas pode ser uma tarefa difícil.

Por isso, nós selecionamos algumas delas e explicamos o porquê delas serem indicadas para a sua viagem

A Optima Intercâmbio é uma empresa feita de intercambistas para intercambistas. Sinônimo de qualidade, ela possui quatro certificados: Cadastur, selo IALC, selo Quality English e o Selo Belta.

Ela disponibiliza diversos destinos nos Estados Unidos e o valor pode ser parcelado.

Além disso, a empresa ainda presta serviços adicionais como seguro viagem, compra de passagens aéreas e compra de dólares americanos.

A Egali também foi criada com intercambistas preocupados em fornecer assistência total para brasileiros que irão fazer intercâmbio nos EUA e também em outros países.

Criada em 2007, e seus serviços são pensados de forma exclusiva para cada aluno, detectando as suas necessidades.

Ela é a maior agência desta área situada na América Latina com mais de 140 lojas no Brasil e em outros países.

A Egali dá auxílio na compra de passagens aéreas, reserva de acomodação para moradia, compra da moeda estrangeira e seguro viagem.

Com destino de intercâmbio também para os Estados Unidos, a IE intercâmbio tem por característica, oferecer várias opções de cursos, seja para teen, cursos de idiomas, high school, graduação, pós-graduação e estudos mais trabalho.

Ela possui muitas lojas espalhadas pelo Brasil, facilitando o contato com um especialista para auxiliar em sua viagem.

Dentre os vários serviços adicionais fornecidos estão a compra de dólares americanos, seguro viagem, compra de passagens e reserva de acomodação.

Moradias para a sua viagem

Encontrar uma moradia perto do local que você vai estudar é importante. Além disso, procurar preços baixos ajuda a diminuir os gastos.

Se for fazer um intercâmbio para graduação ou pós, algumas instituições oferecem moradias próprias. Mas elas terão algumas regras e será preciso se adaptar a elas

Achar uma moradia compartilhada é uma boa escolha caso você tenha facilidade em conviver com pessoas de culturas e vivências diferentes. O site Roomgo é um dos ideais para esse tipo de objetivo.

Uma outra opção é morar com famílias anfitriãs. O diferencial dessa opção é estar imerso no cotidiano de uma família norte-americana e poder se comunicar integralmente na língua inglesa.

Existem sites próprios para entrar em contato com esse tipo de moradia, como o homestay.com.

No site você pode colocar seu destino, o período da viagem diante de preços diversos e acomodações também. Ela ainda lista as melhores acomodações do site.

Escolher um hotel é uma opção que pode sair mais cara, mas poderá ter mais privacidade e conforto além de conseguir locais mais próximos de sua escola de idiomas ou universidade que irá estudar.

Alugar um quarto ou apartamento é uma boa escolha caso fique nos Estados Unidos por uma longa temporada.

A Booking oferece esse serviço em seu site onde você pode ver o melhor com o preço de acordo com seu orçamento.

Redes de apoio de brasileiros nos Estados Unidos

Muitos brasileiros já moram ou fizeram intercâmbio nos Estados Unidos e, com isso, criaram grupos para trocar informações e experiência de como é estar no país. No Facebook podemos facilmente encontrar vários.

A seguir alguns grupos e páginas que podem te ajudar a entender melhor sobre a sua viagem aos EUA.

Por que fazer um intercâmbio nos Estados Unidos?

Aqui listamos um resumo dos motivos para você seguir com o seu tão desejado intercâmbio para os EUA. Mas antes de mais nada, planeje sua viagem para que a experiência seja completa e agradável!

  • Vai conhecer um novo país;
  • Uma cultura nova;
  • Um dos maiores centros mundiais;
  • Cidades históricas;
  • Entretenimento garantido com museus, parques e lugares para práticas esportivas;
  • A noite noturna norte-americana é inesquecível;
  • Encontrará intercambistas do mundo todo;
  • Aperfeiçoamento do inglês;
  • Escolas de idiomas e universidades de qualidade.

Se você quiser se preparar estudando inglês antes de seu intercâmbio, então não deixe de ler o nosso página com os 15 melhores cursos de inglês.


Download Gratuito

Cronograma Autodidata Para Aprender Inglês Básico Em 34 Dias

Baixe agora clicando no botão abaixo
DOWNLOAD NOW

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Download Gratuito

Cronograma Autodidata Para Aprender Inglês Básico Em 34 Dias

Baixe agora clicando no botão abaixo
DOWNLOAD NOW
close-link
(Grátis) Baixe o E-book Inglês em 34 Dias - Cronograma Autodidata
Baixar Ebook
close-image