Intercâmbio na Inglaterra: tudo o que você precisa saber

Estudar em um dos países que mais se preocupam com a educação, é algo que pode mudar a sua vida pessoal e também profissional. Um intercâmbio na Inglaterra vai lhe proporcionar experiências únicas.

É um país que tem uma instabilidade climática bem presente em seu cotidiano. No verão, a temperatura varia de 12º C a 25º C enquanto no inverno, chega a 2º C até 12º C.

Então, o ideal é levar em suas malas roupas para todo o tipo de clima, casacos, capas de chuva e roupas mais frescas

E porque não uma bota, já que as chuvas também são característica da Inglaterra?

Pensando em lhe ajudar tirando todas as dúvidas, como as opções de estudo, bolsas de financiamento, lugares para morar durante a estadia e custo de vida, criamos nesta matéria, um guia completo de um intercâmbio para Inglaterra

A cultura respira na Inglaterra

É um país que sempre esteve nas páginas da história mundial. Seja pelo seu poderio militar, grande território terrestre, a família real ou pelos seus feitos, como na Revolução Industrial. 

Fazer um intercâmbio na Inglaterra irá lhe proporcionar uma bagagem acadêmica conforme a sua escolha nos estudos, mas também uma imersão cultural.

Enquanto estiver em seu intercâmbio, visitar lugares históricos irá enriquecer a sua viagem.

Londres, a capital da Inglaterra é uma das melhores opções para se fazer isso. Na cidade, estão localizados o Palácio de Buckingham, residência da família real.

Mas porque não ir até ao Museu Britânico? Nele estão alguns dos mais importantes artefatos da história da humanidade, como por exemplo, a Pedra de Roseta.

Você ainda pode dar um passeio pelo rio Tâmisa e depois passar pelo Big Ben, um dos cartões postais do país.

A culinária também é outro atrativo, você facilmente poderá consumir o delicioso “fish and chips” que é basicamente peixe frito com batatas fritas.

A noite britânica pode também proporcionar ida aos famosos pubs e experimentar a cerveja local.

A Inglaterra também é o berço de bandas icônicas como Beatles e Rolling Stones, mas não é apenas de rock que o país europeu proporciona boa música.

Sam Smith, Amy Winehouse, Dua Lipa, Harry Styles, Eric Clapton , Adele, Ed Sheeran e Elton John são alguns dos grandes nomes da música britânica.


Por que fazer intercâmbio na Inglaterra?

Um dos principais motivos para se fazer um intercâmbio na Inglaterra, é por ser o berço do idioma inglês. Então, se o seu desejo é estar em contato com a essência da língua, o país é a melhor opção.

Isso porque a diferença entre o inglês britânico e o norte-americano está principalmente na sua pronúncia. A letra ‘i’ é falada como ‘ai’ na Inglaterra, e isso é um dos exemplos de sua diferença. 

A terra do Rei Charles é um dos lugares que tem as melhores instituições de ensino, seja escolas de idiomas, universidades ou outros programas educacionais. O motivo é que o país faz um alto investimento para que consiga ter ótimos resultados.

As suas cidades além de belas, são únicas e diferentes umas das outras.

Além disso, a Inglaterra é reconhecida pela sua qualidade de vida. Um país de primeiro mundo que garante segurança, educação, ampla oferta de opções de lazer e entretenimento.

A oferta de emprego também é alta, o transporte funciona em um nível de satisfação bem elevado devido a sua pontualidade e eficiência. 

No geral, a qualidade de vida britânica oferece muito mais vantagens do que desvantagens quando comparadas, sendo um motivo interessante para decidir fazer um intercâmbio na Inglaterra.

O acesso à Europa se torna mais fácil pela sua localização, então se quiser visitar outros países será mais rápido e até mais barato do que sair diretamente do Brasil para o seu destino.

High School

Estudar numa High School britânica é possível para os brasileiros. O período no país europeu é diferente do que o do Brasil, lá é dividido em três termos.

O primeiro corresponde aos meses de setembro a dezembro, o segundo é de janeiro até a páscoa (Spring Break que é as férias de primavera).

Já o terceiro e último, é no período após as férias até o final de junho ou início de julho. O ano letivo no país britânico dura de nove a dez meses.

Algumas escolas oferecem calendários especiais para seus alunos estrangeiros, incluindo os brasileiros.

Essa modificação, pode fazer com que os termos tenham duração de um termo e meio, ou seja, com início em setembro e o seu término em fevereiro.

Existem alguns tópicos considerados essenciais para a educação inglesa: liderança, criatividade, inovação e trabalho em equipe.

No High School as escolas oferecem orientações para a vocação profissional, direcionamento de planos e também realização de sonhos.

Nesse período que for estudar na Inglaterra, você terá a oportunidade ainda de ter atividades fora da área acadêmica.

É possível praticar esportes, ir a shows, museus e outros eventos.

Como fazer o High School na Inglaterra?

Para fazer o High School, é necessário ter entre 15 a 18 anos, possuir um nível intermediário em inglês, conseguindo tirar notas que estejam na média, ou ultrapassá-las, nos últimos dois anos na escola.

Apresentar uma boa saúde e conseguir se adaptar bem em uma nova cultura e país, são outros fatores essenciais para o seu intercâmbio. A Inglaterra dá três maneiras para ingressar na High School.

A primeira é estudar em uma escola particular com acomodação em uma casa de família local.

O segundo é também a possibilidade de estudar numa escola particular, mas a acomodação sendo na própria escola, o nome para isso é boarding schools.

O terceiro é para o estudo em uma escola pública tendo acomodação com uma família.

O aluno tem duas opções relacionadas a escola que irá estudar.

A opção sem escolha é aquela que os coordenadores irão direcionar o aluno para a opção que melhor irá se adequar ao seu perfil.

A segunda é uma opção com escolha, onde o intercambista escolhe a escola que deseja ir a partir das instituições parceiras do programa.

Nem todas as escolas oferecem as mesmas disciplinas. Então é importante analisar com antecedência as matérias que são ministradas para poder ver se elas estão de acordo com o que já estudou em sua vida acadêmica.

Um sistema educacional diferente do brasileiro

O sistema educacional é diferente, ele te prepara bem antes para a sua entrada em uma universidade.

O primeiro contato é na escola primária com uma duração de seis anos. A secundária, é realizada num período de cinco anos. 

É nesta fase, em seus dois últimos anos, que existe o GCSE (General Certificates of Secondary Education).

GCSE: O que é?

O GCSE tem o objetivo de avaliar o aluno através de vários exames para saber como está o seu desempenho. 

Ele também serve como um auxílio no ingresso de alunos para o Ensino Superior. É necessário o estudante realizar essa fase do sistema educacional. A idade dos estudantes é de 14 a 16 anos.

Tem três matérias obrigatórias que são avaliadas: Matemática, Inglês e Ciências com disciplinas combinadas ou separadas entre Biologia, Física e Química.

Contudo, o estudante ainda pode adicionar quatro ou cinco matérias.

Essas matérias adicionais geralmente são de áreas que o aluno pretende cursar na graduação que deseja estudar.

Se o aluno quiser, pode ir além e escolher até 10 disciplinas, mas isso em escolas estaduais. Já nas escolas independentes, esse número pode chegar a 11 ou 12.

Durante esse período, as instituições de ensino aplicam simulados até a data que é prestado o exame oficial do GCSE. Além disso, os estudantes recebem certificados das disciplinas das quais cursaram.

Esse método acontece nos dois anos dessa fase escolar. O GCSE pode ser um requisito obrigatório na hora de procurar um emprego na Inglaterra.

A-Level: O que é?

Após o GCSE, tem o A-Level (General Certificate of Education Advanced Level).

Ele é um nível mais avançado e que tem o objetivo de preparar o aluno para algum curso de graduação. Os alunos que entram nesse nível têm idades entre 16 a 18 anos.

O método é semelhante com o GCSE, é escolhido as matérias que deseja cursar e no fim do ano letivo, é prestado um exame onde receberão um certificado. Além disso, só consegue estudar no A-Level quando tiver completado o GCSE.

O A-Level é um sistema bem complexo, as questões aplicadas em seus exames costumam ser densas e são solicitadas respostas muita das vezes longas, principalmente na área de Humanas. 

A grande maioria das universidades britânicas solicitam que seus candidatos tenham feito o A-Level.

No entanto, alunos estrangeiros não são obrigados a ter esse exame. Os brasileiros por exemplo, conseguem na maioria das vezes, ingressar nas faculdades com documentos como histórico, proficiência em inglês e cartas de recomendação.

Contudo, Oxford e Cambridge não aceitam o diploma de Ensino Médio do Brasil e muito menos o Enem. Para ser admitido nessas duas universidades, será necessário ter feito a prova do College Broard ou do A-Level.

Escolas que aplicam o A-Level

Algumas escolas no Brasil aplicam esse exame por ser bilíngues tendo como segundo idioma o inglês britânico. São cerca de 40 escolas em nosso território que realizam a prova, mas apenas 14 delas aceitam que alunos externos façam esse exame.

São elas:

Estudar nessas escolas durante o ensino básico vai lhe garantir um preparo melhor para quando se candidatar ao ingresso de alguma universidade da Inglaterra.

Você terá mais facilidade na hora de realizar os exames além de, quando fizer o seu intercâmbio, a sua proficiência no inglês será bastante satisfatória.

A pontuação desses programas é colocada em letras que são: A+, A, B, C, D, E e U. A letra U significa que o estudante não foi aprovado e que acertou, no máximo, 39% das questões. 

Preparamos um modelo para você conseguir entender melhor o sistema de notas, mas lembre-se que ela pode variar um pouco em cada disciplina da avaliação.

  • A+: corresponde em 90% ou mais
  • A: corresponde em 80 a 89%
  • B: corresponde em 70 a 79%
  • C: corresponde em 60 a 69%
  • D: corresponde em 50 a 59%
  • E: corresponde em 40 a 49%
  • U: corresponde de 0 a 39%

A responsável pela aplicação dos testes em mais de 160 países é a Cambridge International.

Curso de idiomas

Se o seu intercâmbio é somente para aperfeiçoar o seu inglês, um curso de idiomas na Inglaterra é a opção mais adequada.

As melhores instituições são aquelas que vão lhe oferecer dinamismo, flexibilidade e até mesmo diversão para adquirir as habilidades nesta outra língua.

Para se inscrever você pode fazer isso sozinho pesquisando de forma independente ou contratar uma agência de viagem que irá indicar qual a ideal, além de outros serviços como organizar os documentos que podem ser pedidos para a viagem e até na compra de passagens aéreas.

Ao decidir estudar em uma escola de idiomas, saiba que os gastos poderão ser altos.

Os valores costumam ser de R$ 5 mil nos de curta duração e mais de R$ 50 mil nos cursos de longa duração.

Isso sem contar os custos com alimentação, moradia, transporte e outras necessidades. 

A maioria dos cursos de idiomas que são feitos de forma presencial, com o intuito de um intercâmbio na Inglaterra, são pagos. Porém existem opções gratuitas. Uma delas é quando as universidades disponibilizam essa possibilidade.

Para isso, vai ser necessário pesquisar se a instituição que deseja estudar oferece esse tipo de programa.

As councils ou institutos culturais também oferecem cursos grátis de inglês em suas instalações ou online.

Aqui selecionamos algumas instituições renomadas no país britânico que tem o objetivo de ensinar corretamente como ter um inglês mais próximo se comparado com os nativos e que possa se comunicar sem dificuldades.

Kaplan

Com uma aprovação de 96% de seus estudantes, a Kaplan aparece em nossa lista por ser uma das escolas de idiomas mais competentes em ensinar os alunos estrangeiros.

A empresa está no mercado há cerca de 80 anos e já atendeu mais de 400.000 de estudantes vindos de 150 países.

Seus cursos são bastante flexíveis e podem ser feitos por todas as idades, desde as crianças até pessoas com 30 ou mais idade.

O seu método de ensino é o K+, direcionado especialmente para a escola. Essa forma de ensino permite uma imersão total e também dinâmica sobre excursões, materiais exclusivos e conteúdos que façam seus estudantes serem atraídos para a sala de aula.

Ela possui seis tipos de programas que duram conforme a necessidade do curso:

  • O primeiro é o elementar, que tem duração de 0 a 10 semanas.
  • O segundo se chama intermediário baixo, com 10 a 20 semanas.
  • Já o terceiro, é denominado como intermediário e dura de 20 a 30 semanas.
  • O quarto programa é chamado como intermediário superior com duração de 30 a 40 semanas.
  • O quinto corresponde ao avançado com 40 a 50 semanas.
  • O sexto e último, se chama proficiência e sua duração é de 50 a 60 semanas.

Existem sedes da Kaplan nas cidades britânicas de Londres, Liverpool, Bournemouth, Manchester, Bath, Cambridge, Oxford e Torquay.

EC English

A proposta da EC English é ensinar a língua inglesa de uma maneira prática, simples e que seu aluno não fique com nenhuma dúvida e que seja rápida.

Ela já atendeu mais de 11 mil estudantes estrangeiros vindos de 100 países diferentes.

A escola tem programas para as mais variadas idades espalhados pelas sedes em Manchester, Bristol, Londres, Brighton e Cambridge. 

Os cursos oferecidos pela instituição estão divididos em General Manager; IELTS/TOEFL/Cambridge Exam Preparation; English for Work, English in the city e Academic Semester/Year.

Uma das escolas mais premiadas em território inglês, a TLG tem credenciamento pelo English UK e pelo British Council. Ela é reconhecida por ter o ensino com a mais alta qualidade.

O motivo são seus professores altamente capacitados e que aplicam um sistema de ensino com testes semanais, tutoriais e progressões personalizadas. 

A escola dá a possibilidade de você se acomodar em casa de famílias ou em apartamentos privativos.

Suas sedes são nas cidades de Londres, Nottingham e Birmingham.

A The Language Gallery, possui cinco tipos de programas: General English, Academic English, IELTS preparation, Private courses e English for Women.

Existem muitas outras escolas de idiomas espalhadas pela Inglaterra, no entanto, não caberia colocar todas aqui.

É importante fazer uma pesquisa extensa para ter a certeza de qual instituição irá lhe oferecer todos os benefícios que almeja no intercâmbio.

Programas preparatórios antes do ingresso em uma universidade inglesa

Ingressar em uma universidade britânica pode ser uma tarefa difícil. Seus métodos de ensino são diferentes e o nível educacional também, com isso, é importante estar preparado para o que pode vir nesses futuros anos de graduação.

Existem meios onde é possível preparar os ingressantes das universidades da Inglaterra para que eles consigam ter um bom desempenho nos cursos escolhidos. A seguir, falaremos um pouco deles.

Foundation Year

Ele é um preparatório de 12 meses para que você esteja apto a entrar na graduação e que também esteja adaptado.

Para o intercambista, o Foundation Year ainda irá ajudar a melhorar o entendimento, conversação e escrita da língua inglesa.

Ele dá um direcionamento ao aluno para que ele tenha a certeza de fato de que aquele curso desejado realmente é o qual ele queira seguir para ter uma carreira profissional.

Mas ele não é apenas ministrado na Inglaterra, ele é comum no Reino Unido e nos Estados Unidos.

Ele é considerado o “ano zero” dos cursos de graduação por ajudar a desenvolver as habilidades e conhecimentos que serão importantes na faculdade.

Para o intercambista, auxiliará a se adaptar melhor a vida na Inglaterra, seja os costumes, cultura ou método de ensino.

O Foundation Year oferece cursos mais genéricos até que o aluno tenha a certeza se é aquela área mesmo que deseja seguir. Mas para isso, são realizados testes sobre a área escolhida e se é possível ter um aprofundamento sobre ela neste curso.

Como entrar?

Para entrar neste programa, é necessário pesquisar se a faculdade que tem o objetivo de estudar fornece esse ano zero.

A partir daí, você deve conferir de forma online, o edital e quais serão os documentos necessários para estudar.

A grande maioria pede o histórico do ensino médio, comprovação de proficiência em inglês, uma carta de recomendação e documentos pessoais de identificação.

Os valores a serem gastos não são baratos, na Inglaterra a moeda usada é a libra, uma das mais valorizadas no mundo.

O investimento para esse programa costuma ser de 3 mil a 5 mil libras por estudante.

Entretanto, há formas de garantir uma bolsa e economizar.

Na universidade de Oxford, por exemplo, o programa LMH Foundation Year oferece uma bolsa totalmente integral para seus estudantes.

Porém, não é apenas Oxford que disponibiliza esse tipo de auxílio. Outras instituições também realizam essas ações, mas é necessário pesquisar antes e saber se conseguirá a bolsa.

Access Courses

O Access Courses é destinado para intercambistas e também para quem é nativo.

Seu objetivo é atender as pessoas que já pararam de estudar por algum tempo e ainda pretendem ingressar numa graduação. 

A idade mínima para entrar no programa é de 21 anos. Ele serve como base para que o aluno consiga estar preparado para a universidade.

Mas ao contrário do Foundation Year, o Access Courses só é realizado na Inglaterra e no País de Gales.

Você deve fazer o Access Courses antes de iniciar o processo seletivo para a universidade, mas esse programa só é realizado em faculdades.

É necessário pesquisar para saber quais oferecem o programa.

O vestibular brasileiro pode ser usado no ingresso do curso superior no intercâmbio para a Inglaterra?

As universidades britânicas prezam muito pelos seus exames como forma de ingresso em suas instituições. Por conta disso, a grande maioria não aceita os vestibulares brasileiros e nem mesmo o Enem.

Mas existem exceções, a University of Bristol por exemplo, aceita estudantes brasileiros no primeiro ano de graduação, mas com algumas regras.

Eles precisam ter tido boas notas em seu Ensino Médio, ter sido aprovado no Enem e terem tido sucesso em algum programa de foundation.

Para os brasileiros que já concluíram um ano de sua graduação, seja bacharelado ou licenciatura, é necessário estar ainda matriculado em uma instituição brasileira com boas notas.

Já a Kingston University é outra universidade que aceita a nota de vestibulares realizados no Brasil, porém, ela exige um desempenho maior para poder se candidatar.

É preciso ter notas acima ou superiores do que a nota de aprovação no histórico de Ensino Médio, ter tido uma aprovação de 55% ou mais no Enem ou cinco ou mais em outro vestibular.

Mas o ideal é pesquisar na instituição da qual pretende estudar e saber todos os requisitos obrigatórios para se candidatar a uma vaga.

Curso Superior na Inglaterra

Fazer um intercâmbio na Inglaterra com o objetivo de uma graduação é uma das melhores escolhas.

O país possui um ensino forte que reflete nas suas instituições, tendo algumas delas, figurando no top-10 de melhores do mundo.

A duração de seus cursos é de três anos e cada instituição tem a sua particularidade.

As universidades tradicionais são as mais antigas, costumam ser maiores em sua extensão e também possuem um maior prestígio. Por conta disso, a admissão nelas é mais concorrida.

As universidades metropolitanas geralmente foram criadas na década de 90 e ainda disponibilizam uma oferta alta na escolha de cursos.

Dependendo do curso selecionado, as tarifas para a sua entrada podem ser mais baixas se comparadas com as tradicionais.

Já as universidades especializadas são destinadas a áreas de estudos mais específicas como na tecnologia ou direito, por exemplo. 

Os campus universitários estão localizados mais na parte das periferias ou em cidades pequenas. Eles tem um atrativo para seus alunos por terem acomodações e instalações que uma universidade precisa. Então a praticidade de acesso e de locomoção é alta. 

Ao contrário da forma de ingresso no Brasil que é individual, na Inglaterra isso é feito em um local. A plataforma que os candidatos fazem a inscrição se chama UCAS (Universities and Colleges Admissions Service)

O que é o UCAS?

O UCAS é uma plataforma que tem o mesmo objetivo do nosso SISU ou do Commom App que é utilizado nos EUA, ele tem o objetivo de ser um meio para que os alunos consigam se inscrever e ingressar numa universidade. 

Ele é uma plataforma que não tem financiamento do governo mesmo recebendo mais de três milhões de inscrições todos os anos.

As universidades e faculdades têm a opção de fazer parte ou não do UCAS, a maioria das 337 instituições britânicas, estão incluídas na organização.

A organização é beneficente e se mantém por meio das taxas das inscrições pagas pelos alunos, as taxas pagas pelas universidades e de serviços prestados. A UCAS se divide em quatro frentes.

O UCAS Undergraduate tem como função, direcionar os alunos e suas famílias nas documentações necessárias, aconselhamento e ferramentas de pesquisa dentro da plataforma. 

Existem oito instituições ligadas à UCAS que são conservatórios. São lugares onde tem cursos de música, dança, teatro, produção, cinema e outras disciplinas com teor mais prático. 

Essa área é de responsabilidade do UCAS Conservatoires que é destinado para fazer esse tipo de aplicação e processo seletivo. A seleção é diferenciada do que as demais inscrições para a graduação e a pós-graduação. 

O UCAS Postgraduate é a frente que tem como objetivo, atender os alunos que queiram ingressar numa pós, algumas regras dele podem ser um pouco diferentes.

Já o UCAS Media é uma empresa que tem o foco voltado para o marketing. Nela os parceiros da organização são auxiliados a irem de encontro com os alunos. Isso acontece através de propagandas digitais e até impressas, social media, eventos e outras várias soluções de marketing.

Como se inscrever no UCAS?

Antes de mais nada, você deve primeiramente fazer o registro no site, será preciso colocar o email, uma senha, o seu nome completo e aceitar os termos de uso.

Para se inscrever, você precisa ir a plataforma do UCSA Undergraduate e fazer o seu registro. Após isso, vai ser preciso preencher as informações solicitadas suas e de sua família. 

Em seguida, é necessário informar o seu histórico escolar assim como suas notas dos últimos quatros anos de estudo. As notas do A-Level também são pedidas para serem informadas. Alguns documentos serão solicitados para serem anexados na inscrição.

No entanto, caso já esteja fazendo algum curso, vai ser necessário colocar as suas notas desse período.

Algumas pessoas já possuem um histórico profissional, e na hora da inscrição a UCSA destinou uma área justamente com este fim, mas ela não é um item obrigatório a preencher.

Em seguida, você poderá escolher até cinco cursos em até cinco universidades distintas. Se por algum acaso não estiver decidido ainda, a plataforma irá  direcionar para uma área com o intuito de auxiliar na escolha do curso. 

Ao contrário do SISU, não existe uma ordem de preferência e nem as universidades saberão disso.

Documentos necessários

Algumas instituições pedem provas diferentes de A-Level, por isso, é importante atender aos requisitos solicitados por elas para que a sua candidatura seja efetivada.

A redação ou personal statement vai ser pedido. É nesta fase que você irá escrever para as universidades os motivos dos quais deve ser admitido, além de suas experiências e habilidades.

Ela tem um limite de caracteres, seu mínimo é mil e o máximo quatro mil, porém, não pode ultrapassar de 47 linhas.

Por conta disso, o UCSA pede que a redação seja feita no word ou num programa semelhante e depois colada em um espaço que a plataforma determinou. 

Quando terminar, não esqueça de revisar todos os processos e enviar. Após o envio, não poderá ser modificado as informações.

Porém, mesmo com o envio, pode ocorrer a possibilidade de algumas instituições solicitarem uma entrevista para lhe conhecer melhor.

Uma carta de recomendação é outro fator essencial para que consiga a sua admissão na universidade. Ela é feita por um professor de sua indicação e ele precisa falar os motivos para a instituição aceitar a sua candidatura.

UCAS Conservatoires e UCAS Postgraduate

Porém, quem quer entrar por meio do UCAS Conservatoires terá a maioria dos passos da inscrição iguais aos demais, mas com duas diferenças. É preciso comprovar que tem habilidade como, por exemplo, tocar algum instrumento.

A segunda diferença é que deverá enviar duas cartas de recomendação.

O UCAS Postgraduate tem os mesmos processos, porém conforme os cursos escolhidos eles podem variar as exigências.

Na pós-graduação existe a opção de enviar até duas cartas de recomendação.

Ele serve para mestrado em artes e em ciências. Curso de Direito também serve para o UCAS Postgraduate.  

Por fim, ocorre o pagamento da taxa. Para quem for se inscrever em apenas um curso, é cobrado 22 libras. Mas caso deseje escolher dois ou mais, o valor a ser pago é de 26,50 libras.

Sistema de pontuação do UCSA

O UCSA tem seu próprio sistema de pontos. As notas tiradas através das provas internacionais são colocadas em uma fórmula para obter a conversão para o método do programa.

Essa conversão não irá aumentar ou diminuir a sua nota. Esse sistema serve para que a comparação seja mais justa entre os candidatos.

Até porque cada prova possui um método de qualificação diferente e o UCSA consegue padronizar todos eles.

Vale ressaltar que nem todas as instituições fazem uso desse tipo de sistema de pontos. Portanto, é importante ficar atento aos requisitos solicitados por cada universidade.

Existem três datas para se submeterem a candidatura.

  • A primeira acontece em outubro para quem quer estudar nas universidades de Oxford e de Cambridge.
  • O segundo, é em janeiro para os futuros alunos das demais instituições.
  • Por último, ocorre em março para quem quer cursar Design ou Arte.

Bolsas de estudos para o seu intercâmbio

Para estudar na Inglaterra em um curso superior, é preciso ter o conhecimento que pode sair caro. São cobradas mensalidades para seus alunos e os intercambistas geralmente pagam mais caro.

Os estudantes estrangeiros desembolsam cerca de 10 mil libras a 32 mil libras anuais.

Para os cursos de medicina esse valor sobe, são necessárias 64 mil libras para custear todos os gastos.

A explicação é de que estudantes sem cidadania britânica, tem um acréscimo de 3 mil a 8 mil libras, gerando um valor de duas a três vezes mais caro.

Isso tudo sem contar com os demais gastos como aluguel, alimentação, transporte e etc.

Não existem faculdades gratuitas na terra do Rei Charles. Mesmo com instituições públicas, os alunos pagam mensalidades mesmo que reduzidas.

Porém, uma boa notícia é que há diversos programas de auxílio estudantil para estudantes estrangeiros.

O site do British Council disponibiliza uma lista das instituições e bolsas que estão sendo disponibilizadas para seus alunos pelo financiamento do governo inglês.

Oxford e UCL, algumas das melhores universidades do mundo, oferecem bolsas específicas para seus alunos, mas isso será comentado nesta matéria daqui a pouco.

Agora falaremos de algumas bolsas que auxiliam alunos estrangeiros.

Reach Cambridge

Ele é um curso de verão ministrado pela Universidade de Cambridge mas nem todos podem concorrer a essa bolsa. Ele é voltado para alunos da rede pública e bolsistas de escolas particulares que estão no Ensino Médio.

Brasileiros podem concorrer.

São disponibilizadas bolsas integrais e parciais.

Como se candidatar?

O requisito para se candidatar é fazer uma redação totalmente em inglês de no máximo 750 palavras sobre um dos cinco temas propostos em seu edital.

Os temas são baseados em assuntos climáticos, sociais e também da área de tecnologia. Não são aceitos plágios. A redação precisa ser argumentativa, com uma estrutura clara e objetiva. 

Além disso, é necessário cumprir alguns requisitos:

  • Ter a idade entre 15 a 17 anos,
  • Ter autorização de pais ou responsáveis para viajar a Inglaterra,
  • Ter em mãos a carta da escola, se neste caso ela for particular, para comprovar que você é bolsista.

Outros requisitos são uma carta de recomendação de papel timbrado de alguém de sua instituição de ensino, enumerando os motivos para ganhar a bolsa e as suas competências acadêmicas e pessoais.

O envio de um vídeo de três minutos explicando porque você merece a bolsa de verão e o histórico escolar são pedidos. É necessário enviar todos os documentos no prazo estipulado pela universidade.

A bolsa inclui o pagamento da taxa do curso, acomodação em Cambridge com um quarto compartilhado, duas refeições diárias, passeios e workshops do próprio programa. 

Contudo, seguro saúde, passagens, deslocamento para Cambridge e até para outros lugares, juntamente com a terceira refeição, não estão incluídas na bolsa.

Os cursos de verão são realizados 100% na língua inglesa, o contato com os professores acontece porque as aulas são estudadas nas instalações da instituições. Isso pode até ajudar a decidir se vai desejar tentar uma graduação na universidade.

A escolha dos cursos é bem ampla. Você pode selecionar nas áreas do Direito, Tecnologia, Jornalismo, Matemática, Teatro e tantos outros.

Future News

Essa bolsa é voltada para quem faz graduação ou já se formou com até 25 anos. Ele primeiramente é um evento que ocorre em Londres (mas na época da pandemia foi totalmente remoto).

Ele tem parceria com o British Council e empresas de mídia como a BBC, The Harald, Google, Reuters, The Quint e algumas escolas de jornalismo.

O objetivo é preparar os jornalistas em técnicas de redação, aprimoramento da comunicação multimídia, além de conhecer renomados profissionais da área e enriquecer seu portfólio e currículo.

Como se candidatar?

A seleção para essa bolsa consiste em fazer a inscrição com o preenchimento de um formulário. O primeiro passo é escrever uma carta de motivação onde você explica porque deve ser admitido e qual impacto irá causar na sua carreira essa bolsa.

Essa carta pode ter diversos formatos:

  • Em texto, são permitidos até 300 palavras.
  • Em vídeo, a gravação deve ser de dois minutos no máximo.
  • Os formatos de áudio e vídeo devem ser subidos em uma plataforma online como YouTube ou Soundcloud.

Após isso, deve-se colocar o link da publicação no formulário.

A segunda fase do processo, é enviar uma matéria jornalística. A matéria escrita deve ter até 500 palavras, enquanto nos formatos multimídia, três minutos.

Os temas podem ser política, social, tecnológica e ecológica mas que devem ser sobre o seu país de origem ou do local que reside.

As regras para a candidatura é ter de 18 a 25 anos, estar cursando graduação ou pós mas também pode já ter se formado, porém precisa ser recente. O inglês avançado é cobrado porque o evento e as aulas serão na língua oficial da Inglaterra.

Depois da inscrição, a organização seleciona 100 jornalistas de toda parte do mundo. Admitidos, esses profissionais terão a oportunidade de uma verdadeira imersão de conhecimento em sua área.

O evento é gratuito, são pagas as passagens aéreas, a hospedagem, refeições e até te buscam no aeroporto. A organização não dá um pagamento para despesas extras.

Chevening

Esse programa de bolsas internacionais é financiado pelo governo da Inglaterra por meio Ministério das Relações Exteriores e em parceria com algumas organizações.

Para conseguir o auxílio, é necessário comprovar que será um grande líder global através de uma formação acadêmica e profissional bem estruturada.

A bolsa tem o objetivo de cobrir todos os gastos que o aluno poderá ter, desde as passagens aéreas, taxas do visto, mensalidade do curso e ainda ajuda com uma quantia mensal para gastos como alimentação e acomodação.

Como se candidatar?

Para se inscrever, existem duas fases. A primeira, o aluno deve ir para o site do programa e preencher o formulário online colocando quais cursos deseja se candidatar.

Na sequência, é preciso enviar documentos como histórico acadêmico, cartas de aceite, carta de recomendação e diplomas.

A segunda etapa consiste na entrevista em inglês que é feita na Embaixada Britânica ou em um Consulado.

A duração do processo seletivo dura quase um ano, mas o resultado se torna positivo quando é aceito na universidade e ainda com uma bolsa.

O programa apresenta dois tipos de bolsa:

Chevening Schorlaships

É uma bolsa de estudos integral fornecida para qualquer universidade inglesa. Ela é destinada para os alunos do mestrado e estudantes internacionais podem se candidatar. 

Para isso, é importante estar formado na graduação, ter no mínimo dois anos de experiência profissional e comprovar a proficiência em inglês.

A candidatura se dá por meio da inscrição em pelo menos três cursos que sejam elegíveis e tenham uma resposta favorável em um deles.

Chevening Fellowships

O destino da bolsa Chevening Fellowships é para as pessoas que já estejam no meio de suas carreiras e com algum destaque na área que está atuando.

Com isso, o objetivo dessas pessoas é aumentar as suas habilidades e seu network.

Alunos estrangeiros podem se candidatar a vagas assim como os britânicos. Os requisitos para estar apto a bolsa são os seguintes.

  • Ter uma experiência profissional de no mínimo, 2.800 horas;
  • Ser cidadão de um país que esteja elegível para o programa (o Brasil é um deles);
  • Ter cumprido os requisitos de um curso de graduação;
  • Voltar em até dois anos após o término do programa;
  • Estar inscrito em três cursos de alguma instituição britânica e receber uma oferta delas dentro do prazo.

London School of Economics and Political Science (LSE)

Essa bolsa é para estudantes que queiram cursar um doutorado na Inglaterra pela LSE. Localizada em Londres, a instituição oferece dois tipos de bolsas e iremos falar sobre elas agora.

LSE PhD Studentships

O programa cobre as mensalidades e o custo de vida durante o curso do aluno. Os selecionados recebem um auxílio de 20 mil libras anuais e tem duração de quatro anos.

Entretanto, há a renovação a cada ano que é conforme ao desempenho acadêmico do estudante.

No entanto, os alunos beneficiados devem contribuir para a universidade. Eles devem trabalhar ou ensinar aos demais alunos no departamento do qual estudam. Isso acontece a partir do segundo ano.

Ele é voltado para os estudantes que tenham interesse em qualquer doutorado pleno da instituição.

LSE ESRC DTP Studentships

Esse programa é um pouco mais restritivo, ele não contempla todos os cursos disponíveis da universidade. Mesmo assim, grande parte destes cursos estão no programa, mas o ideal é pesquisar antes de tudo.

O auxílio anual é de 19 mil libras e a sua duração vai depender do curso que foi escolhido.

Como se candidatar?

As duas bolsas não possuem inscrição separada. Para se candidatar, você deve se inscrever normalmente para o doutorado na London School of Economics and Political Science.

Não esqueça de fazer a sua candidatura dentro do prazo estipulado pela instituição.

Outras bolsas de estudo

Ainda existem muitos outros programas de bolsas de estudos na Inglaterra.

E isso se torna um bom diferencial, o país se preocupa em dar oportunidade para aqueles que muita das vezes, não tem condições financeiras de arcar com as despesas mas tem o desejo de estudar e mudar sua história e quem sabe o mundo.

Uma forma de achar a bolsa ideal para a sua realidade é fazer uma pesquisa através do site StudyPortals. A plataforma faz uma busca de bolsas de estudos nos mais diferentes países e a Inglaterra é um deles.

O Study UK é outra plataforma com o objetivo de auxiliar alunos. Ela fornece informações importantes sobre o sistema de educação britânico para estudantes estrangeiros.

Ainda tem uma área específica destinada a informar sobre bolsas nas instituições do país.

O UK Council for International Students Affairs (UKCISA) é mais um site que tem como função, trazer informações para os intercambistas desde a solicitação do visto, taxas a serem pagas, outras preparações e dicas de bolsas oferecidas pelas instituições inglesas.


As melhores universidades para o seu intercâmbio na Inglaterra

Por prezar pelo um ensino de qualidade desde a educação básica, a Inglaterra é uma das referências quando o assunto é educação.

Atualmente, ela possui quatro instituições de ensino superior figurando entre as 10 melhores do mundo de acordo com o ranking da QS (World University Rankings).

Ingressar em uma delas pode ser difícil, mas aqui falaremos um pouco de cada uma e se tem a existência de bolsas de estudos para alunos internacionais.

Lembre-se que as inscrições das universidades da Inglaterra são realizadas por meio da UCAS.

University of Cambridge

A primeira universidade britânica da lista das melhores do mundo é a de Cambridge. Ela é a segunda mais velha do país, atrás apenas de Oxford.

São mais de 22 mil alunos, distribuídos em 12 mil na graduação e 10 mil em seus programas de pós-graduação.

Desses números, cerca de 5.500 estudantes são estrangeiros vindos de mais de 100 países, constituindo 25% do seu corpo discente. A sua organização é dividida em 31 faculdades e 150 departamentos.

É bastante concorrida com uma taxa de aceitação de 20,8%.

Os gastos com as mensalidades na graduação podem variar de 24 mil a 64 mil libras.

Seu reconhecimento no meio educacional é enorme, são 121 ganhadores do Prêmio Nobel que foram alunos ou professores da instituição.

Antes de se inscrever para se candidatar em Cambridge, é necessário ver se o curso que deseja fazer faz parte do programa e se atende aos requisitos solicitados por ela.

Mas isso não elimina que a universidade peça uma entrevista para poder lhe conhecer melhor e também ter a certeza da sua proficiência em inglês.

Bolsa de estudos em Cambridge

Estudar por meio de uma bolsa em Cambridge é possível.

No entanto, a grande maioria de seus auxílios são destinados aos cursos de pós-graduação e nem todas são integrais.

A Gates Cambridge é uma das bolsas mais conhecidas voltadas para a instituição.

Ela foi criada por Bill e Melinda Gates. O casal desde 2000 participa auxiliando estudantes de todas as partes do mundo. O programa é destinado para mestrado, pós-graduação e doutorado, mas com duração de 1 ano.

Para conseguir a bolsa, existem quatro critérios:

  • compromisso em mudar o mundo,
  • ter uma capacidade em liderar,
  • a escolha do curso e
  • excelência acadêmica.

Esse benefício cobre os custos totais do curso e é pago um adicional de 17.500 libras no período de 12 meses. Já quem for fazer doutorado pode ter o auxílio estendido por quatro anos.

Além disso, ocorre o pagamento das passagens de ida e volta, despesas com o visto e seguro saúde. Pode-se pedir outro financiamento para custear a presença em cursos e conferências. 

Quem for estudar e levar a família pode receber mais benefícios. Para o primeiro filho, são pagos 10.120 mil libras. Para o segundo filho é dado 4.320 mil libras, o cônjuge não recebe auxílio.

Em casos de licença maternidade ou paternidade, você consegue solicitar uma interrupção dos estudos e ainda continuar recebendo a bolsa.

Para se inscrever, é necessário entrar no site da bolsa e o departamento de cada curso irá selecionar alguns alunos. 

Após isso, os nomes são encaminhados para a Gater Cambridge e são marcadas as entrevistas. Com as entrevistas finalizadas, a organização escolhe quem serão admitidos para a bolsa.

Se tratando de financiamento para graduação, a universidade disponibiliza em seu site a relação dos benefícios dados pela instituição e pelo governo britânico.

O Cambridge International Scholarships é mais uma opção de auxílio para quem quer estudar numa das melhores universidades do mundo. Ele tem o objetivo de oferecer bolsas de doutorado para seus alunos. 

O fundo que financia esse programa é o Cambridge Commonwealth, European & International Trust que permite pesquisadores do mundo todo a estudarem na instituição. Mas ele beneficia apenas 250 estudantes por ano.

Os selecionados poderão ainda ter acesso a rede de contatos do programa e eventos do fundo de financiamento.

University of Oxford

A número três no ranking das melhores universidades do mundo é a de Oxford. A mais antiga em território inglês é composta por 31 faculdades e mais de 26 mil estudantes. Os seus 250 cursos de graduação têm cerca de 12,500 alunos.

Já nos programas de pós-graduação possuem cerca de 13,500 em mais de 300 cursos. É uma das instituições que mais atende a alunos internacionais. Na graduação, a porcentagem chega a 43%, enquanto na pós a 64%.

Cerca de 5% dos pesquisadores acadêmicos do Reino Unidos são da universidade de Oxford. Os custos anuais para estudar na instituição são geralmente em torno de 33 mil a 49 mil libras.

É uma universidade que precisa estar bastante empenhado. Isso porque se comparado às demais instituições, em Oxford se estuda 40% a mais. Cada estudante conta ainda com um tutor para ajudar e direcionar na vida acadêmica.

A inscrição é feita pelo UCAS. Para os alunos brasileiros, alguns documentos a mais são pedidos:

  • Histórico do Ensino Médio, e de graduação caso se candidate para uma pós,
  • nota do Enem e
  • documentos de identificação.

Bolsas de estudo em Oxford

A universidade de Oxford oferece bolsas para seus estudantes internacionais, desde a graduação até pós-graduação.

O Reach Oxford Scholarships é voltado para os cursos de graduação, no entanto, é bastante concorrido.

A pretensão da bolsa é oferecer para os candidatos de baixa renda e que sejam de países em desenvolvimento e que por algum motivo, não conseguem obter o diploma

. Esse tipo de auxílio tem duração de três a quatro anos dependendo do tempo total do curso escolhido.

Para se candidatar ao benefício, o aluno deve se inscrever anteriormente no curso via UCAS. Ser aceito no curso e fazer o pedido para ter a bolsa no site do programa são os próximos passos.

Já para a pós-graduação, tem mais opções de bolsas. A Clarendon Fund é uma delas. Esse programa cobre de forma integral os custos do curso além dos gastos com moradia, alimentação e transporte.

São 140 alunos selecionados todos os anos, eles devem representar o maior número possível de áreas a serem estudadas. Ser um líder nato com um excelente currículo acadêmico são fatores essenciais para ser um forte concorrente à bolsa.

A candidatura de um curso em Oxford já garante que está disputando uma das vagas. Os currículos são avaliados pelos respectivos departamentos e se for pré-selecionado, receberá um email perguntando se deseja se candidatar à bolsa.

O processo seletivo é todo feito online e você deve ficar atento ao site da instituição para que veja a lista dos cursos disponíveis e continue sendo elegível para o processo.

Existem ainda outras bolsas de estudos dadas pela universidade e que estão visíveis no site e mostra o passo a passo para ser selecionado para essas bolsas.

Oxford ainda oferece o programa de Foundation Year, preparatório de um ano para quem pretende ingressar posteriormente na universidade. 

Imperial College London

A Imperial College London é uma instituição de ensino que tem como seu grande foco, a área de ciência e tecnologia. Seus alunos são originários em cerca de 140 países. Com 110 anos de existência, ela pensou em seus alunos internacionais.

Ela separou um fórum destinado a esses estudantes com o intuito de ter informações sobre as disciplinas e suas inscrições. Com 240 cursos, atualmente comporta 11 mil alunos em graduação e mais 10 mil na pós.

Anualmente são emitidos cerca de 6.700 diplomas formando novos profissionais para terem um desempenho de excelência no mercado de trabalho.

A inscrição para a graduação se dá através da UCAS, enquanto na pós-graduação, é realizada por meio de um processo próprio da instituição.

Bolsas de estudo em Imperial

Para obter financiamento e custear seus estudos fora do país existem algumas formas. Ainda em território nacional, você pode se candidatar a bolsas financiadas pelo governo brasileiro como CAPES, CNPq e FAPESP

As bolsas da ICL para graduação destinadas aos brasileiros é uma só. President ‘ s Undergraduate Scholarships. Este é um programa que oferece um auxílio de mil libras para os beneficiados.

Para conseguir, o aluno precisa ter notas superiores à média ou equivalentes. A bolsa tem duração de três anos.

A instituição reserva uma área de pesquisa sobre informações de bolsas de estudo, principalmente aquelas de pós-graduação.

UCL

A University College London tem quase 200 anos de história e conta com 440 cursos de graduação com 20 mil alunos e 23,9 mil na pós-graduação, totalizando 43,900. Desses números, 18 mil estudantes vêm de outros países.

Ela é uma das primeiras universidades a aceitar o ingresso de mulheres e atualmente também é uma das que mais tem mulheres estudando.

Bolsas de estudo em UCL

A instituição fornece diferentes auxílios para seus estudantes e brasileiros podem se inscrever neles.

A bolsa de estudos mais conhecida é a Denys Holland Scholarships. A bolsa é para aqueles alunos da graduação que não conseguiram financiamento suficiente para estudar na instituição.

Esse benefício garante cerca de 9 mil libras anuais para quem a adquire. Esse valor é dado ao estudante para ele decidir o que fazer com ela, desde o pagamento das mensalidades ou em sua hospedagem na Inglaterra.

Uma coisa boa desse auxílio é que quem a obtiver também pode se candidatar a outras bolsas sem correr o risco de perdê-la.

Com o aluno já cadastrado na UCAS e aceito no curso, ele precisa enviar por email a aplicação e os documentos no primeiro semestre de cada ano que ele deseja se candidatar. A idade máxima para se inscrever é de 25 anos.

As bolsas Chevening também podem ser solicitadas para os estudantes da UCL. A universidade disponibiliza uma lista completa de auxílios que podem ser solicitados.

Preciso de visto para entrar na Inglaterra?

A resposta é sim se você vai fazer um intercâmbio com duração de seis meses ou mais. Neste caso, você deve solicitar um visto de estudante para poder ser aceito na Inglaterra. 

Quem for estudar por até seis meses no país, não tem necessidade de solicitar um visto, porém essa especificação tem algumas regras.

Você pode cursar uma disciplina eletiva em qualquer instituição da Inglaterra, mas isso só para quem estiver cursando Medicina, Odontologia, Enfermagem, Obstetrícia ou Veterinária. 

Pode também estudar em um curso recreativo de 30 dias, uma pesquisa acadêmica ou um posto de observador odontológico ou um vínculo clínico.

Agora as regras que você não pode estão incluídas: estar estudando em uma instituição financiada pelo estado, um curso com um período superior a seis meses (exceto se for a distância), obter bolsas de estudo ou outro tipo de benefício.

Além disso, você não poderá também viver na Inglaterra por longos períodos com visitas recorrentes, estar em um trabalho remunerado, ao menos se ele for relacionado a áreas da medicina.

O visto de estudante Tier 4

Ele substituiu o antigo visto Tier 4 e contempla estudos relacionados a graduação, pós, intercâmbio, doutorado e mestrado.

Mas ele é indicado para pessoas com 16 anos ou mais. Esse visto é usado para cursos de nível superior e garante que os estudantes possam ficar no país por até cinco anos. 

Porém, para cursos de inglês ou abaixo do nível superior, só permitem dois anos.

Você ainda terá a oportunidade de fazer mudanças em seu visto caso ocorra modificações no motivo de sua viagem para a terra do Rei Charles.

Você consegue estender o visto, mudar de visto e também mudar para uma pós-graduação.

O visto de estudante permite que trabalhe e estude ao mesmo tempo, mas isso depende do curso que está estudando e se a condição do emprego é fora ou dentro do período letivo.

O ideal é que faça a solicitação seis meses antes de sua viagem ser feita. Essa recomendação é para quando o pedido for fora do território inglês. Você vai receber a confirmação ou não do visto que é de três semanas.

Agora se o pedido de visto for realizado dentro da Inglaterra, você deve solicitar antes que o atual documento perca a sua validade e precisa ser feito em até três meses antes do início do seu curso.

Essa decisão é notificada dentro de um prazo de oito semanas.

Uma das formas de conseguir a liberação do visto é alcançar os pontos necessários. Ao todo, o aluno deve obter 40 pontos.

Os 30 primeiros pontos são dados quando você é aceito em uma instituição britânica de ensino credenciada pelo Accreditation UK e/ou pelo UKBA Register of Sponsors.

Os demais 10 pontos correspondem com a comprovação de que você conseguirá arcar com os custos de suas despesas.

É preciso apresentar uma conta própria para este objetivo. Será necessário comprovar a sua proficiência em inglês já que os estudos do seu intercâmbio serão falados nesta língua.

Caso não tenha alcançado todos os requisitos para ter em mãos o seu visto, ainda tem outra possibilidade: o Tier 4 Prospective Students.

Nesta situação, terá que comprovar que dentro de um prazo de seis meses desde a sua chegada, irá dar início aos seus estudos na Inglaterra.

A tarifa a ser paga para a emissão deste documento é de 490 libras mais a taxa de seguro saúde que custa 470 libras.

Short-Term Study Visa

Esse visto é destinado para cursos que terão duração de 6 a 11 meses. Ele permite que você estude e more no país, mas não pode trabalhar e muito menos levar familiares para a Inglaterra.

A taxa deste visto é de 200 libras. Porém é preciso pagar também uma taxa de 470 libras para cobrir o seguro saúde. Mas ele tem algumas restrições:

  • Você não vai poder pedir um requerimento para conseguir auxílio de fundos públicos ou de pensão do estado;
  • Trabalhar, seja remunerado ou não;
  • Estender o visto;
  • Estudar em outro curso ou fazer uma mudança dele;
  • Estudar em uma instituição financiada.

Child Student Visa

Ele é um visto exclusivo para crianças com idades entre 4 a 17 anos e que tem o intuito de estudar em alguma escola independente da Inglaterra. 

Ele pode ser mudado ou até mesmo renovado.

Como fazer a solicitação do visto?

A solicitação do visto para entrar em solo inglês pode ser feita no Brasil através do site do governo britânico.

No site, será feita uma série de perguntas com o objetivo de entender melhor qual visto será o mais adequado para a sua viagem.

Identificado qual visto é o ideal, você deve entrar no site do Governo Britânico, lá irá preencher um formulário e colocar as informações pedidas como dados pessoais, data de emissão do passaporte e etc.

Na sequência, deve ser efetuado o pagamento das taxas. O próximo passo, é agendar uma entrevista no Centro de Solicitação de Visto. Nesta fase acontece o recolhimento dos dados biométricos e fotografias.

Depois envie todos os documentos pedidos para a sua solicitação de visto. Quando chegar a hora do agendamento, não esqueça de comparecer e falar a verdade quando for questionado por qualquer assunto.

Agora basta esperar por atualizações do processamento do seu visto, por email ou por telefone. Com a confirmação positiva, irão entrar em contato para que possa tirar o visto na CSV e ser enviado pelos correios.

Consulados britânicos no Brasil

Para conseguir vistos e tratar de outros assuntos relacionados ao seu intercâmbio, ir a um consulado ou embaixada será importante. Atualmente, existem seis consulados no Brasil e uma embaixada. Veja todos eles:

Embaixada em Brasília

Endereço: Av. das Nações, Qd 801, Conjunto K, Lote 08 – Asa Sul

Telefone: (61) 3329-2300

Horário de atendimento: segunda à sexta de 8h30 às 12h30.

Email: [email protected] ou [email protected]

Consulado em Pernambuco

Endereço: Av. Agamenon Magalhães, N° 4775, 8° andar- Ilha do Leite, Recife

Telefone: (81) 3094-2700 ou (11) 3094-1899

Horário de atendimento: segunda a sexta de 8h30 às 16h30.

Email: [email protected] ou [email protected]

Consulado no Rio de Janeiro

Endereço: Praia do Flamengo, 284 – 2° andar – Flamengo

Telefone: (21) 3329-2300 ou (21) 2555-9671

Horário de atendimento: segunda a sexta de 8h30 às 16h30.

Email: [email protected] ou [email protected]

Consulado em Minas Gerais

Endereço: Rua Fernandes Tourinho, 669, sala 102 – Savassi, Belo Horizonte

Telefone: (21) 2555-9600;

Email: [email protected] ou [email protected]

Horário de atendimento: segunda a sexta de 8h30 as 12h30, e de 13h30 as 16h30.

Consulado em Porto Alegre

Endereço: Antenor Lemos, 57, sala 305 – Menino Deus, Porto Alegre

Telefone: (51) 3232-1414

Email: [email protected]

Consulado em São Paulo

Endereço: Av. Coronel Silva Telles, 132, Campinas

Telefone: (19)3252-2139

Email: [email protected] ou [email protected]

Observação: O Consulado Geral Britânico, localizado em Pinheiros, não faz o serviço de emissão de vistos.

Custo de vida

Assim como foi falado anteriormente, fazer um intercâmbio na Inglaterra requer uma boa quantia de dinheiro guardado para este fim ou conseguir a tão sonhada bolsa. 

Além dos gastos com as mensalidades em instituições de ensino que podem ultrapassar 50 mil libras, existem gastos extras.

Você gastará com comida, aluguel, transporte e até com lazer já que uma viagem de intercâmbio para a Inglaterra também deve ter um pouco de diversão.

Alugar um apartamento em Londres pode passar por 2 mil libras, na cidade de Leeds esse preço diminui mas é cobrado cerca de 826,67 libras. Tudo é pago em libras, uma das moedas mais caras quando comparamos com o real.

O motivo dessa sua valorização é porque a libra é usada na maioria das negociações dos países europeus. É neste continente que praticamente todos os países de primeiro mundo estão localizados.

Para completar, a Inglaterra na cidade de Londres é o seu principal centro financeiro. Então se planeja fazer um intercâmbio na Inglaterra não esqueça, comece a juntar dinheiro bem antes de marcar sua viagem, ou então procure meios de financiamento como já foi falado aqui para conseguir realizar o seu sonho.

Cidades menores poderão lhe proporcionar gastos menores e ainda assim você terá boas instituições de ensino, um estilo de vida super agradável e lugares históricos para visitar.

As melhores opções de hospedagem

Se você não for ficar durante a sua viagem em alojamentos estudantis, é preciso pesquisar muito para encontrar um bom lugar para a sua hospedagem e que não pese muito no seu bolso.

A seguir algumas dicas:

Tripadvisor

O Tripadvisor é um site no qual mostra as melhores opções de viagem no mundo todo. A seleção dos mais adequados é feita pelos próprios usuários que podem colocar sua opinião além de avaliar.

Tem uma área destinada a parte dos hotéis, incluindo instalações na Inglaterra.

Nele tem as opções de instalações mais simples e até aquelas com mais serviços como piscina e academia, por exemplo. 

Expedia

Ele é um site bastante parecido com o Tripadvisor por fornecer avaliações de usuários assim como as notas dadas por eles. Disponibilizam fotos, preços e endereços.

Além disso, ainda ajuda a encontrar bons preços de passagens aéreas, pacotes e até aluguéis por temporada.

Homestay

A Homestay é nada mais do que você ficar hospedado em uma casa de família. Dessa forma, você consegue vivenciar de uma maneira intensa, os costumes, a cultura além de praticar a todo tempo o seu inglês.

Os valores semanais, incluindo refeições diárias, podem ser cobrados a partir de 100 libras. Valores bem parecidos se fosse se hospedar em algum hotel.

A Homestay.com é um site onde você facilmente descobre boas opções desse tipo de hospedagem.

As famílias fazem uma breve descrição do quarto ou até de uma casa em anexo, a localização da propriedade, colocam fotos e também o preço que estão cobrando.

Airbnb

O Airbnb é uma excelente escolha para quem está a procura de alugar um apartamento desejando ter uma maior privacidade e conforto em sua viagem.

Ele se torna ideal se por algum acaso a sua estadia na Inglaterra for com um grupo de amigos ou familiares.

É colocado os valores a serem cobrados juntamente com fotos dos cômodos, sua localização e avaliação de outros usuários.

As agências de intercâmbio ideais para a sua viagem

Fazer o seu intercâmbio na Inglaterra por meio de uma agência de viagens irá facilitar a sua vida porque muitas situações envolvendo burocracia e documentação serão realizadas por ela.

Aqui, selecionamos algumas que possuem destino ao país europeu e os seus serviços.

EF Intercâmbio

A agência oferece programas de intercâmbio desde o ensino médio até o ensino superior incluindo também pós-graduação. Um dos principais destinos na Inglaterra, são as cidades de Londres, Bristol, Oxford, Liverpool e Cambridge.

No curso de idiomas, você recebe o certificado de que concluiu o programa do curso do qual estudou. Ainda tem direito a testes de nivelamento a fim de saber o progresso com a língua estrangeira.

Ele tem programas para todas as idades, desde os 10 anos até quem já passou dos 25 anos. O orçamento na EF Intercâmbio vai depender do intercâmbio escolhido, a cidade e a sua duração.

Hello Study

A Hello Study é uma agência que pensa além da viagem de seu intercambista.

A empresa oferece serviços para auxiliar na emissão de vistos, compra de passagens aéreas, lugar para hospedagem e também um cartão pré-pago adquirido na Hello para poder ser utilizado na Inglaterra sem precisar levar quantias elevadas de dinheiro.

Ela ainda presta o serviço de assistência de viagem para seu cliente viajar tranquilamente. Suas viagens de intercâmbio estão direcionadas tanto para escolas de idiomas quanto para universidades como Oxford. 

Além disso, ao comprar o pacote, o material didático e a matrícula, já estão incluídas.

A Hello Study tem algumas sedes no Brasil e em seu site disponibiliza os locais junto com endereço e horário de funcionamento.

Grupos de apoio para brasileiros na Inglaterra

As redes sociais hoje em dia facilitam a vida e a conexão de milhões de pessoas. E encontrar brasileiros que têm ou já tiveram a experiência em um intercâmbio na Inglaterra, se tornou mais fácil.

Escolhemos alguns grupos onde você possa interagir e ter um relato completo e bem próximo de quem já passou por isso.


Download Gratuito

Cronograma Autodidata Para Aprender Inglês Básico Em 34 Dias

Baixe agora clicando no botão abaixo
DOWNLOAD NOW

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Download Gratuito

Cronograma Autodidata Para Aprender Inglês Básico Em 34 Dias

Baixe agora clicando no botão abaixo
DOWNLOAD NOW
close-link
(Grátis) Baixe o E-book Inglês em 34 Dias - Cronograma Autodidata
Baixar Ebook
close-image