Intercâmbio na Austrália: tudo o que você precisa saber

Vai fazer um intercâmbio na Austrália e não sabe tudo o que precisa para que a sua viagem fique sem imprevistos? Você está no lugar certo para tirar as suas dúvidas!

O país é um dos lugares que tem sido bastante desejado não apenas para viagens de lazer, mas para estudos e até para moradia.

É possível ter contato com um lugar rico em cultura, ambientes com uma natureza única e opções de lazer somados a uma qualidade de vida invejável por muitos.

Mas para você ir e fazer um intercâmbio na Austrália sem sustos, continue lendo o nosso guia completo.

Aqui você saberá quais são as melhores cidades, qual a época ideal para se viajar, as formas de emprego que poderá conseguir, os documentos necessários e outras dicas que podem passar despercebidas enquanto se prepara para a viagem.

Antes de mais nada, defina o motivo da sua viagem. Existem várias formas de programas de intercâmbio.


Talvez a mais conhecida esteja relacionada a estudos de idiomas. No entanto, pode-se também ser sobre cursos de graduação, pós-graduação, cursos profissionalizantes ou outro interesse acadêmico da pessoa.

O curso de idiomas é destinado mais para pessoas que querem aperfeiçoar o inglês de forma rápida e com nativos da língua.

Já os cursos profissionalizantes tem intercambistas que já possuem uma boa noção do idioma, mas pretendem melhorar o seu currículo, com esses cursos voltados para a sua área profissional.

Agora a graduação e a pós-graduação tem por característica, atrair pessoas que desejam fixar moradia no país em um futuro próximo. 

Porém, para saber se o curso escolhido pode ser feito na Austrália, é necessário conferir no Registro de Instituições e Cursos para Estudantes Estrangeiros da Comunidade da Austrália (CRICOS). Se ele estiver inscrito, procure contato com a instituição do curso.

intercâmbio na Austrália

Melhor época para o intercâmbio

A melhor época do ano para uma viagem à Austrália, é entre os meses de Setembro a Fevereiro quando tem as estações da Primavera e do Verão.

Se for nesse período, saiba que terá a oportunidade de vivenciar as festas de fim de ano e a linda queima de fogos australiana.

Mas existe um porém, os valores a serem pagos de passagens, alimentação, hospedagem, dentre outras coisas, tendem a ser maiores por ser a alta temporada.

Além disso, as ruas estarão cheias de turistas das mais variadas nacionalidades, dificultando acesso e até locomoção em alguns momentos.

Entretanto, para fugir das festas de fim de ano, marque a sua viagem entre os meses de Outubro a Novembro ou de Fevereiro a Março. Os gastos serão menores.

Para um intercâmbio, pode ser o ideal já que principalmente no início, os custos em morar num novo país podem ultrapassar o esperado.

Alguns lugares australianos têm variações de temperatura bem parecidas com as do Brasil. Seu clima característico é o tropical e o subtropical. Na região norte, a temperatura é alta e faz calor o ano inteiro.

Então se o seu intercâmbio for em cidades como Brisbane, Cairn e Gold Coast, saiba que roupas de frio dificilmente sairão de seu armário.

As cidades como Queensland, New South Wales, Victoria, Tasmania e South Austrália, por exemplo, tem o clima mais ameno, favorável  para quem não vai poder pegar uma praia ou muito pouco dela.

Você deve observar o que será melhor ao seu orçamento e qual clima tem mais preferência para não sentir tantos impactos dessa nova fase da vida. 

Como conseguir o passaporte?

Para poder viajar, obter o passaporte é essencial. Você consegue fazer a solicitação através do site da Receita Federal. É necessário preencher um formulário com as informações pedidas.

Após isso, você deve pagar uma taxa devido a solicitação do passaporte. O valor da taxa comum sem adicional é de R$ 257,25. O pagamento pode ser via Pix, boleto bancário, cartão de crédito ou PagTesouro.

Quando o pagamento for reconhecido, será liberada a etapa para o agendamento presencial. Você precisa no dia levar os documentos originais e ocorrerá a coleta dos dados biométricos.

A consulta da solicitação pode ser feita por meio da internet. Quando o passaporte estiver pronto, a Receita Federal enviará uma mensagem via email. Com isso, a entrega do documento será no mesmo local que aconteceu o agendamento.

Todo esse processo tem prazo máximo de 90 dias, então faça isso com antecedência, bem antes da data da sua viagem. Caso não pegue o passaporte dentro do prazo ele será cancelado.

O governo australiano exige que o passaporte tenha, no mínimo, uma validade de seis meses a partir da data escolhida para o seu embarque.

Visto australiano

O visto australiano é obrigatório para todos os turistas dos demais países, exceto os naturais da Nova Zelândia e também da Austrália. Contudo, ele varia de acordo com o motivo e a duração de sua viagem. 

A solicitação do visto de turismo é feita quando a estadia no país for de no máximo três meses, ele serve para viagens rápidas como lazer ou negócios. Mas se o seu curso durar 90 dias, você pode fazer esse pedido.

Agora para viagens de 12 semanas ou mais, a solicitação tem que ser pelo visto do estudante e a sua duração vai depender somente do tempo do curso que você irá fazer.

Como pedir o visto australiano?

Para fazer o pedido é muito simples, existe a possibilidade dessa solicitação ser toda online sem a necessidade de ir a Consulados ou a outros órgãos. O site da imigração é em inglês, mas pode-se traduzir para ter uma melhor compreensão.

Os documentos pedidos podem ser anexados no próprio requerimento de visto australiano. Não é necessário que eles sejam apresentados em originais ou em cópias autenticadas pelo cartório. 

Escolaridade, situação civil, se possui filhos ou não e comprovação de emprego, são alguns documentos a serem enviados.

Para conseguir o visto, uma carta de recomendação de uma escola australiana é importante.

Neste documento conhecido como COE irá contar com todas as informações do curso que o intercambista se matriculou para fazer, até mesmo as datas de início e de término.

Se quiser fazer o processo de pedido do visto por meio de sua agência de intercâmbio, você deve preencher o formulário 965A. Ele libera a terceiros que tenham essa permissão, para que faça todo o processo.

Agora convencer o oficial que irá aprovar ou não o seu visto pode ser uma tarefa difícil. Recomendamos que na sua carta de intenções que precisa ser enviada, seja o mais claro e verdadeiro possível.

Explique a sua vida, o porquê quer fazer o intercâmbio na Austrália e quais os seus objetivos nesta viagem.

Uma outra dica é não utilizar modelos prontos na internet e faça a carta em inglês. Para não errar na semântica e nem nas palavras, procure alguém que seja proficiente na língua ou peça ajuda a agência de viagens a ser escolhida.

Quanto custa o visto?

O preço de um visto de turista é de R$ 422 a R$ 2.912, enquanto o de estudante está em torno de R$ 1.805.

O pagamento para o pedido de visto é online, de forma simples e no banco em que possua uma conta.

Menores de idade que irão fazer intercâmbio na Austrália sem a presença de pais ou responsáveis, precisarão de outros documentos adicionais.

Eles irão com um formulário assinado pelos responsáveis junto com uma cópia de nscimento, mas desta vez, autenticada.

Além disso, tem que levar os documentos de identidade dos responsáveis que estejam autenticadas e uma autorização de viagem para o exterior.

A duração dos vistos costumam ter validade de acordo com a estadia no país.

Mas o governo australiano ainda pode estender a validade do visto para um tempo de lazer, o Grace Period.

Vacinação necessária para o intercâmbio na Austrália

A vacina contra a Febre Amarela é obrigatória caso queira entrar no país. Antes da viagem, você precisa se imunizar por pelo menos, 10 dias antes do seu embarque. A validade dela no organismo é de 10 anos.

Após esse tempo, é necessário que tome novamente a vacina. No Brasil, ela está disponível pelo SUS (Sistema Único de Saúde), sem custos nos postos de saúde espalhados pelo país.

Você ainda pode encontrar a vacina da Febre Amarela em hospitais, em alguns aeroportos e rodoviárias.

O pedido para obter o Certificado Internacional de Vacinação é depois da imunização.

Ele é feito em um posto da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e deve ser entregue um documento com foto e o cartão de vacina para conseguir o certificado.

Caso você não possa se vacinar seja por ser alérgico a ovo, a alguma outra condição de saúde ou por ser gestante, pode-se pedir isenção. Basta ir a um posto da Anvisa com o atestado médico e pedir o Certificado de Isenção de Vacinação. 

Faça um seguro viagem para o seu intercâmbio na Austrália

Viajar para o exterior ou até mesmo no próprio território nacional requer um seguro de viagem. Ele se torna indispensável para quem for fazer o intercâmbio na Austrália.

O estudante que não o tiver, não conseguirá embarcar para a terra dos cangurus porque ele é um dos documentos solicitados na hora de pedir o visto.

O seguro mais procurado é o OSHC (Overseas Student Health Cover), ele dá direito de ter acesso ao sistema de saúde público do país quando for preciso.

Ele cobre exames de raio-x, serviços de ambulância em situações de emergência e também de incapacidade de locomoção.

Cobre mais serviços, como os relacionados a acidentes, auxílios para remédios e consultas médicas particulares.

Porém, ele não cobre todos os serviços médicos. Remédios e tratamentos que não foram prescritos por médicos, reprodução assistida, gravidez e psicólogo nos 12 primeiros meses, são alguns deles.

Idas a oftalmologistas e dentistas também não fazem parte do seguro. Serviços médicos de fisioterapia e quiroprata, não terão reembolso.

Mas vale lembrar que o seguro só será válido em todo território australiano. Se viajar para países próximos como a Nova Zelândia, o seguro viagem não irá cobrir.

Uma outra dica é se você estiver com uma condição de saúde já preexistente, o seguro não irá cobrir. A não ser que pague uma carência de forma antecipada de 12 meses. Existem três planos para se fazer. O individual, o de casal e o de família. 

Para fazer um intercâmbio na Austrália, o governo disponibiliza cinco agências de seguro. O ideal é você consultar a sua agência de viagem e ver qual a melhor para o seu caso. Algumas seguradoras conseguem cobrir de 85% a 100% do valor dos serviços médicos realizados.

Marcação de consultas e reembolso

Ficou doente na viagem? Procure um médico para que a sua saúde não piore e estrague toda a experiência. O clínico geral é o primeiro contato médico que você terá.

Ao contrário do nosso país, a marcação de consulta é feita primeiramente com esse médico para, caso não resolva o problema, procurar um especialista.

É obrigação de todas as seguradoras, reembolsar em 100% essa primeira consulta. Mas se for uma emergência, você deve ligar para o número 000, que é como se fosse nosso Samu brasileiro. Uma ambulância será acionada.

Em situações de problemas emocionais, o intercambista pode ligar para o seguro e pedir ajuda. A comunicação pode ser feita no idioma nativo do turista. O reembolso será feito após a consulta e pagamento dela na hora do serviço.

O pedido de reembolso será realizado através do site da seguradora ou de maneira presencial. Mas para conseguir isso, peça o comprovante da visita médica e a prescrição.

O valor vai ser depositado entre 1 e 2 semanas por uma conta da Austrália.

Uma forma de facilitar esse serviço, é o “Direct Billing”. Ele é simplesmente uma rede de médicos conveniados pelas seguradoras. O estudante vai apenas marcar uma consulta, pois a própria clínica enviará os dados necessários para a seguradora.

Neste caso, o intercambista na Austrália não precisa fazer o pagamento, a seguradora fará todo o processo.

Custo de vida na Austrália e emprego

Ir para Sydney, vai ser sempre uma das primeiras opções a se escolher quando for à Austrália. Contudo, o custo de vida pode se tornar alto em seu orçamento visto os demais gastos necessários para a viagem.

Segundo comentários de brasileiros que moram no país e relataram em fóruns, e até no Reedit, o valor é alto.

Hospedagem

O aluguel de uma casa com dois quartos em Sydney pode custar cerca de $450 por semana. Por um outro lado, na cidade de Adelaide uma casa de três quartos e com quintal pode ser cobrada $340 por semana.

Mas caso vá sozinho para fazer o intercâmbio na Austrália, existem outras formas de moradia. Famílias residentes no país podem oferecer quartos de sua casa para turistas.

O acolhimento é maior e em sua grande maioria, as famílias estão mais dispostas em auxiliar. O preço costuma ser em torno de $40 diários e ainda terá privacidade e uma limpeza satisfatória.

Agora se deseja uma interação com outras pessoas de diferentes culturas e até mesmo para melhorar o inglês, uma acomodação estudantil é uma boa escolha. O valor a ser gasto é um atrativo, $35.

Um albergue é uma opção para quem gosta de aventura e não tem medo de conhecer novas pessoas e costumes. Uma instalação dessas para seis pessoas, pode sair por $44. 

Porém para ter uma maior privacidade e que tenha um dinheiro a mais para gastar, um hotel de até três estrelas surge como uma possibilidade. O gasto inicial será de $120.


Alimentação

A alimentação é outro fator que deve ser bem observado. A disponibilidade de alimentos e culinárias de outros países até é fácil de se encontrar.

Mas de acordo com relatos de brasileiros no Reedit que residem na Austrália, o preço é um pouco alto.

Por um preço acessível você não conseguirá se alimentar bem em restaurantes como no Brasil e de forma mais saudável. Irá gastar em torno de $15 a $20 por refeição.

O recomendado é que você faça a sua própria comida, pois sairá quase pela metade do valor.

Por exemplo, no Numbeo, que é um plataforma de colaboração onde colocam preços de itens básicos como compras no mercado, a mais elaborados como o aluguel ou compra de uma casa ou um apartamento. Ele aponta os valores de como é viver em Sydney. 

Alguns dos valores indicados são:

  • Um litro = 2,47 A$
  • Um plano de internet = em torno de 82 A$
  • Academia = em torno de 97,86 A$.
  • Aluguel de uma casa no centro de Sydney = no mínimo 3.222,67 A$.

Estudo e trabalho na Austrália

Entretanto, para ajudar nos gastos, você pode ainda trabalhar e estudar ao mesmo tempo. Basta pedir um visto de estudante, é ele que dará a permissão para tais atividades no país.

O visto será de subclasse 500 ou o subclass 500 student visa. O tempo mínimo de um programa de intercâmbio na Austrália e de trabalho, é de 14 semanas. A duração máxima é de 5 anos. 

O governo permite que o estudante trabalhe por 48 horas quinzenais. Além disso, o consulado ainda dá quatro semanas de férias extras para quem deseja trabalhar em turno integral, após o término do curso.

O estudante não irá para a Austrália já com um emprego garantido. Ele vai ter que procurar por conta própria. Em muitos casos, será um trabalho braçal, como em construção por exemplo.

Agora se quiser uma ocupação da sua área profissional, invista num bom currículo em inglês para poder encontrar um emprego já na sua área.  

Vou viajar para o intercâmbio, preciso de uma boa agência 

Contratar uma agência de intercâmbio vai facilitar a sua vida nos preparativos para viajar.

Especialistas das empresas poderão explicar melhor como funciona o processo da agência, além de oferecer diversos pacotes que podem caber em seu orçamento.

Diante de muitas empresas que fazem o mesmo serviço, você pode ficar em dúvida. Mas para isso, selecionamos algumas dicas em como escolher a ideal.

Primeiro, veja a reputação dela entre os clientes, um site como o Reclame Aqui indicam o nível de satisfação de quem já usou.

O tempo de experiência da empresa é mais um fator essencial, pois indica uma maior garantia de seriedade dela. No entanto, empresas novas no mercado também podem ser boas nos serviços que irão prestar. 

Observe as garantias e também os benefícios que a agência possa lhe dar. Eles podem oferecer uma relação única e que vá permitir menos preocupações na hora de sua viagem. A seguir veja a lista das cinco melhores agências de viagens.

EPlanet

A agência ePlanet é bem conceituada no mercado, no Reclame Aqui por exemplo, seus clientes deram uma avaliação cinco estrelas.

Ela trabalha com 29 destinos, incluindo a Austrália. A empresa proporciona benefícios gratuitos como consultoria na compra de passagens aéreas, reservas em hotéis, seguro para viagem e a compra de moeda estrangeira.

Optima Intercâmbio

A Optima Intercâmbio é outra agência de turismo que oferece viagens para a Austrália e as suas principais cidades.

Sua avaliação é um pouco menor 4,8 mas também permite serviços adicionais em todo o processo da compra da passagem até adquirir os dólares australianos.

CI Intercâmbio

Com 4,3 de avaliação, a CI Intercâmbio, é referência em turismo jovem brasileiro. Fundada em 1988, ela disponibiliza viagens para o país dos cangurus e tem mais de 100 unidades espalhadas no Brasil.

Ela já embarcou mais de 700 mil pessoas pelo mundo e se tornou uma das agências mais confiáveis para fechar negócios. Os benefícios adicionais são semelhantes a outras duas agências.

Egali

A Egali nos últimos meses aumentou a sua avaliação de 8.1 para 9.2. Cerca de 88% das reclamações foram respondidas e resolvidas deixando os clientes satisfeitos com as soluções feitas.

Só no Brasil, possuem mais de 140 lojas físicas possibilitando você a ter uma conversa presencial com quem irá lhe atender na agência.

Um do seu grande diferencial, é o auxílio pós-desembarque e acomodações exclusivas. 

IE Intercâmbio

A IE Intercâmbio é uma das mais completas agências de turismo relacionada ao intercâmbio acadêmico. Oferece viagens para países europeus e da Oceania como a Austrália. Ela também ajuda na procura de empregos relacionados ao intercâmbio.

Possui serviços adicionais e uma avaliação de 4.9. Você pode ir além de cursos de idiomas. Tem as opções de graduação em universidades e também para o ensino médio.

Quais são as melhores cidades para uma viagem à Austrália?

A Austrália é conhecida pela sua alta taxa de qualidade de vida e baixa desigualdade social entre a população.

A última lista de países mais bem colocados no Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), colocou o país da Oceania em quinto, atrás apenas de Suíça, Noruega, Islândia e Hong Kong.

No geral, o país é uma excelente opção para se fazer intercâmbio por tudo que oferece em relação a muitos outros países, inclusive os da América do Sul.

A escolha das melhores cidades do país foi feita após muitas pesquisas sobre brasileiros que atualmente residem na Austrália.

Em todos os depoimentos, eles relataram muitos pontos positivos, a maioria dos relatos negativos, se deu ao alto valor de se viver ou a estrutura do transporte na locomoção da cidade. 

Contudo, o feedback de quem mora ou quem vai estudar é que vale a pena encarar essa nova experiência. 

Sydney

Sydney sempre será uma das melhores opções para intercâmbio. Mesmo não sendo a capital do país, a cidade oferece uma grande diversidade de culturas por receber estudantes de mais de 130 nacionalidades. 

Ela é considerada uma cidade cosmopolita, sua infraestrutura é de qualidade, recebe vários eventos culturais e esportivos.

As escolas e universidades estão em grande número na cidade, a oferta de empregos é alta, possui mais de cem praias para aproveitar e o transporte público é diversificado e eficiente.

Seu contraponto, é que o custo de vida dela é alto em relação a cidades que são boas de se morar, mas são menores em questão de território e até de estrutura. 

Melbourne

Uma cidade com um visual da Europa devido a sua arquitetura antiga que foi preservada, é Melbourne.

Ela é uma das cidades mais populosas da Austrália. Além de oferecer um ambiente natural e lindo, existem lugares como parques onde se pode estudar ao ar livre sem preocupação.

A oferta de universidades e escolas também é alta, o custo de vida em Melbourne é mais barato, porém ainda assim, continua alto e os serviços como transporte não deixam a desejar. 

Adelaide

Adelaide é uma das cidades australianas que mais possibilitam a moradia permanente de estudantes que vão fazer intercâmbio.

Existem várias opções de escolas e universidades. A Faculdade de Adelaide está entre as 100 melhores do mundo, mostrando o seu grande potencial de formar excelentes profissionais. 

Ainda existe a possibilidade de bolsas de estudos para brasileiros,  e além disso, os gastos para se viver nas cidades são menores que comparadas com outras. 

A procura por empregos pode ser um pouco difícil por ser uma cidade menor, porém você consegue encontrar.

Um diferencial é ela ser conhecida pela “cidade dos 20 minutos”. Esse termo é pelo motivo dela ter sido arquitetada para que os pontos principais dela sejam acessados em apenas 20 minutos.

Porém, Adelaide é uma cidade que está em crescimento, então alguns pontos vão demorar devido ao trânsito que tem acontecido. Mas mesmo assim, nada comparado a grandes cidades australianas.

Outras cidades

Existem outras cidades como Brisbane, Perth, Gold Coast que vão garantir uma boa estadia enquanto se estuda por lá. A alta oferta de eventos e lugares para se conhecer é comum na grande maioria. 

A diversidade de escolas e universidades conseguem proporcionar várias escolhas que se encaixam da melhor forma em seus objetivos.

As cidades mais movimentadas vão exigir um orçamento melhor e muita das vezes conseguir o visto permanete é mais difícil.

Procure lugares mais regionais, mesmo sendo menores, eles possibilitam o visto de forma mais rápida e são um pouco mais tranquilos caso tenha o total objetivo primeiramente em estudar. 

O clima é outro fator que deve ser observado, mais ao norte encontrará cidades mais quentes e até parecidas neste caso com o Brasil.

As cidades australianas, em sua grande maioria, são seguras e um grande atrativo para quem quer mudar de vida.

As cidades maiores vão apresentar um trânsito mais complicado devido ao alto fluxo, já as menores distâncias a serem percorridas tendem ser maiores e como em Brisbane, por exemplo, se torna mais caro.

Se você ainda está na dúvida de para onde ir em seu intercâmbio, então não deixe de dar uma olhadinha nos nossos guias completos de intercâmbio nos Estados Unidos e em Malta.


Download Gratuito

Cronograma Autodidata Para Aprender Inglês Básico Em 34 Dias

Baixe agora clicando no botão abaixo
DOWNLOAD NOW

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Download Gratuito

Cronograma Autodidata Para Aprender Inglês Básico Em 34 Dias

Baixe agora clicando no botão abaixo
DOWNLOAD NOW
close-link
(Grátis) Baixe o E-book Inglês em 34 Dias - Cronograma Autodidata
Baixar Ebook
close-image