Collocations: o que são?

Collocations são palavras da língua inglesa que, utilizadas em conjunto, produzem um significado autônomo.

No entanto, não se trata de unir qualquer palavra que faça aparente sentido gramatical ou lógico.

Alguns exemplos simples: “watch TV” (ao invés de “see tv”), “heavy rain” (ao invés de “hard rain”), “do a favor” (ao invés de “make a favor”), “make a mistake” (ao invés de “do a mistake”), “have a break” (ao invés de “have a pause[1]).

Muitos cursos e/ou professores tentam explicar a colocação de certos verbos ou pronomes de forma lógica. No entanto, simplesmente não há uma fórmula, uma regra que abarque as collocations; qualquer tentativa de fazê-lo somente trará um sem número de exceções que irão confundir mais que ajudar na compreensão do idioma.

Para ter a conotação de collocation, as palavras devem atrair-se naturalmente no uso comum da língua, não bastando que sejam apenas gramaticalmente compatíveis. As collocations fazem parte do vocabulário do falante nativo, são expressões em uso frequente e não aleatório que influenciam muito na fluência do idioma.

O conhecimento destes termos linguísticos é essencial para que a produção do texto ou discurso seja coerente linguisticamente com o idioma praticado, e não que faça aparente sentido lógico.

Para isso, é importantíssimo que o Lexical Approach (Abordagem Lexical) seja dominado pelos instrutores e exercitado em qualquer método.

Em português, temos nossos próprios casos de collocation; contudo, por sermos falantes nativos, não estudamos esses casos, pois são ocorrência naturais da língua.

No entanto, basta fazer uma comparação simplificada do mesmo idioma falado em outro país: muitos termos empregados em Portugal não fazem qualquer sentido no Brasil. Por exemplo, naquele país, dizer de alguém que “não se aguenta nas canetas” indica que está muito cansada.

Embora encontremos todos estes termos isolados em dicionários de português falado no Brasil, unidos não fazem sentido para um brasileiro. Este é um caso de collocation na língua portuguesa.

A Importância do Método

Ao estudarmos outra língua, não é suficiente que tenhamos contato com o vocabulário isolado. Para isso, bastaria ter um dicionário.

Contudo, não se trata simplesmente de conhecer palavras e seus significados isolados. As palavras têm sentido em conjunto e o contexto em que a mesma palavra é empregada varia de formas que podem parecer absurdas para estrangeiros.

Portanto, é muito importante que, para além de conhecer palavras novas, o estudante esteja sempre atento aos diversos usos que são feitos de uma mesma palavra e notar a variação do significado que ela apresenta, ainda que por vezes isto ocorra de forma sutil.

Esta conscientização acerca do léxico deve ser adquirida desde o início dos estudos e o método eleito deve primar por estabelecer essa sensibilidade no aluno.

A exposição a uma linguagem de qualidade, qual seja, aquela efetivamente utilizada pelos falantes nativos deste ou daquele país é essencial neste processo.

É muito importante que seja destacado o seguinte: não existe uma delimitação específica do que se trata ou não de collocations. Isto não deve ser, portanto, uma preocupação presente nos estudos.

O que fará diferença é voltar a atenção para essa gama de possibilidades de utilização das palavras e a sensibilização sobre o que é ou não adequado no decorrer da aprendizagem. Ainda mais importante, absorver o sentido do discurso escrito ou falado e não dos termos individualizadamente.

Importância Do Entendimento de Collocations para a Fluência no Idioma

Estando expostos à variação de significados das palavras em seus diversos usos e combinações presentes na língua desde muito cedo, os alunos terão a seu dispor quantidade maior de uma linguagem pronta à disposição para ajudar na fluência, permitindo mais tempo para se concentrar na própria mensagem[2].

Entender que algumas combinações de palavras, apesar de teórica e gramaticalmente corretas, são linguisticamente equivocadas, demanda tempo e dedicação. Somente a prática de leitura, listening e conversão realística irá providenciar esta aptidão no falante do inglês como segunda língua.


[1] Sobre o tema: <https://www.youtube.com/watch?v=CqRloBkyqQs>

[2] <https://www.teachingenglish.org.uk/article/collocation-advanced-levels-1-not-entirelyproperappropriategood>

Deixe um comentário

avatar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  Subscribe  
Notify of