50 Questões de Inglês da Fuvest Resolvidas e Comentadas

A prova da FUVEST é uma das mais competidas entre os vestibulares do Brasil, pois é a porta de acesso à Universidade de São Paulo (USP), uma das instituições públicas de educação mais respeitadas do mundo.

Para garantir uma boa nota na seção de Inglês é importante analisar o que foi demandado nas provas passadas e se preparar, mesmo para quem é fluente no idioma. 

Reunimos aqui cinquenta questões de Inglês de diversos anos, que não estão somente resolvidas, mas também comentadas – o que deve facilitar os estudos. Confira:

  1. FUVEST 2014 – 73

TEXTO PARA QUESTÕES 71, 72 E 73:

To live the longest and healthiest life possible, get smarter. Institute for Health Metrics and Evaluation (IHME) data show that past a certain threshold, health and wealth are just weakly correlated. However, overall health is closely tied to how many years people spend in school. Mexico, for instance, has a fifth the per capita gross domestic product (GDP) of the United States, but, for women, more than 50 percent of the latter’s schooling.

In line with the trend, Mexico’s female adult mortality rate is only narrowly higher. Vietnam and Yemen have roughly equivalent per capita GDP. Yet Vietnamese women average 6.3 more years in school and are half as likely to die between the ages of 15 and 60. “Economic growth is also significantly associated with child mortality reductions, but the magnitude of the association is much smaller than that of increased education,” comments Emmanuela Gakidou, IHME’s director of education and training. “One year of schooling gives you about 10 percent lower mortality rates, whereas with a 10 percent increase in GDP, your mortality rate would go down only by 1 to 2 percent.”

Discover, May 31, 2013. Adaptado.

De acordo como texto, “about 10 percent lower mortality rates” é resultado de

  1. “10 percent increase in GDP”.
  2. “child mortality reductions”.
  3. “equivalent per capita GDP”.
  4. “economic growth”.
  5. “one year of schooling”.

A resposta correta é E “one year of schooling” pois a baixa em 10 por cento na taxa de mortalidade está ligada, no texto, à esta expressão que refere-se a um ano de escolarização. Você encontra no texto: “One year of schooling gives you about 10 percent lower mortality rates”. O aluno precisa ser capaz de interpretar corretamente o texto e perceber o fato de que o verbo “to give” está sendo usado no sentido de gerar resultado.

  1. FUVEST 2014 – 72

No texto, ao se comparar o México aos Estados Unidos, afirma-se que, no México,

  1. o produto interno bruto é equivalente a 50% do produto interno bruto dos Estados Unidos.
  2. os índices de mortalidade adulta vêm crescendo, nos últimos anos.
  3. as mulheres representam 50% da população escolarizada.
  4. as políticas educacionais são suficientes e estão defasadas.
  5. as taxas de mortalidade feminina adulta são pouco superiores às norte-americanas.

A resposta correta é E “as taxas de mortalidade feminina adulta são pouco superiores às norte-americanas” pois, enquanto compara os Estados Unidos ao México, o texto traz, no início do segundo parágrafo: “Mexico’s female adult mortality rate is only narrowly higher”, literalmente especificando que as taxas são apenas um pouco mais altas. É importante atentar-se aos detalhes das afirmações: a opção C, por exemplo, poderá ser assinalada por quem não perceber que se trata de “mais de 50%” (more than 50 percent).

  1. FUVEST 2014 – 71

O argumento central do texto é o de que níveis mais altos de escolaridade estão diretamente relacionados a

  1. índices mais baixos de mortalidade.
  2. crescimento econômico acentuado.
  3. mais empregos para as mulheres.
  4. menores taxas de natalidade.
  5. melhorias nos serviços de saúde.

A única interpretação possível do texto em relação a correlações com níveis mais altos de escolaridade é indíces mais baixos de mortalidade. Frases como “To live the longest and healthiest life possible, get smarter.”, “However, overall health is closely tied to how many years people spend in school.” e “Vietnamese women average 6.3 more years in school and are half as likely to die between the ages of 15 and 60.”, entre outras passagens, explicitam a correlação em questão.

  1. FUVEST 2014 – 70

TEXTO PARA QUESTÕES 69 E 70:

A wave of anger is sweeping the cities of the world.

The protests have many different origins. In Brazil people rose up against bus fares, in Turkey against a building project. Indonesians have rejected higher fuel prices. In the euro zone they march against austerity, and the Arab spring has become a perma-protest against pretty much everything.

Yet just as in 1848, 1968 and 1989, when people also found a collective voice, the demonstrators have much in common. In one country after another, protesters have risen up with bewildering speed. They tend to be ordinary, middle-class people, not lobbies with lists of demands. Their mix of revelry and rage condemns the corruption, inefficiency and arrogance of the folk in charge.

Nobody can know how 2013 will change the world – if at all. In 1989 the Soviet empire teetered and fell. But Marx’s belief that 1848 was the first wave of a proletarian revolution was confounded by decades of flourishing capitalism and 1968 did more to change sex than politics. Even now, though, the inchoate significance of 2013 is discernible. And for politicians who want to peddle the same old stuff, news is not good.

The Economist, June 29, 2013. Adaptado.

Ao comparar os protestos de 2013 com movimentos políticos passados, afirma-se, no texto, que

  1. nem sempre esses movimentos expressam anseios coletivos.
  2. as crenças de Marx se confirmaram, mesmo após 1848.
  3. as revoltas de 1968 causaram grandes mudanças políticas.
  4. não se sabe se os protestos de 2013 mudarão o mundo.
  5. mudanças de costumes foram as principais consequências de movimentos passados.

A expressão que explicita que “não se sabe se os protestos de 2013 mudarão o mundo” é “if at all” na frase “Nobody can know how 2013 will change the world – if at all.”, que se traduz “Ninguém pode saber como 2013 mudará o mundo, se mudar algo.”

  1. FUVEST 2014 – 69

Segundo o texto, os protestos de 2013, em diversos lugares do mundo,

  1. vêm perdendo força por falhas de organização.
  2. questionam a atuação dos lobbies nas reivindicações das diversas classes sociais.
  3. condenam a corrupção e outros comportamentos inadequados da classe política.
  4. resultam de motivações econômicas precisas.
  5. têm poucos aspectos em comum.

A resposta correta é C “condenam a corrupção e outros comportamentos inadequados da classe política” pois isto está escrito quase que literalmente em “Their mix of revelry and rage condemns the corruption, inefficiency and arrogance of the folk in charge.”

Os comportamentos inadequados citados além da corrupção são ineficiência e arrogância. A palavra “folk” pode ser traduzida como “pessoas” e a expressão “in charge”, como “no poder”, permitindo a interpretação “classe política”.

  1. FUVEST 2013 – 90

TEXTO PARA QUESTÕES 90 E 89: 

Missing Out: In Praise of the Unlived Life is Adam Phillips’s 17th book and is a characteristic blend of literary criticism and philosophical reflection packaged around a central idea. The theme here is missed opportunities, roads not taken, alternative versions of our lives and ourselves, all of which, Phillips argues, exert a powerful hold over our imaginations. Using a series of examples and close readings of authors including Philip Larkin and Shakespeare, the book suggests that a broader understanding of life’s inevitable disappointments and thwarted desires can enable us to live fuller, richer lives. Good things come to those who wait.

Does he see himself as a champion of frustration? “I’m not on the side of frustration exactly, so much as the idea that one has to be able to bear frustration in order for satisfaction to be realistic. I’m interested in how the culture of consumer capitalism depends on the idea that we can’t bear frustration, so that every time we feel a bit restless or bored or irritable, we eat, or we shop.”

The Guardiaguardian.co.uk, 1 June 2012. Adaptado.

No texto, em resposta à pergunta “Does he see himself as a champion of frustration?”, o autor do livro argumenta ser necessário que as pessoas

  1. tenham experiências satisfatórias para compreender a frustração.
  2. entendam cada vez mais a cultura capitalista de consumo.
  3. se distraiam fazendo compras quando estão irritadas.
  4. lidem com as frustrações para que suas satisfações sejam realistas.
  5. percebam o que as deixa frustradas no dia a dia.

A resposta para a pergunta citada é “I’m not on the side of frustration exactly, so much as the idea that one has to be able to bear frustration in order for satisfaction to be realistic.”, que se traduz “Não estou no lado da frustração exatamente, além da ideia de que devemos ser capazes de suportar a frustração para que nossa satisfação seja realista.”

  1. FUVEST 2013 – 89

Segundo o texto, o livro Missing Out: In Praise of the Unlived Life sugere que

  1. a fantasia deve se sobrepor a nossos planos de vida.
  2. uma compreensão maior das decepções e dos desejos não realizados pode nos ajudar a viver melhor.
  3. os relatos de vida dos escritores não nos servem de exemplo.
  4. um controle maior de nossa imaginação é importante para lidarmos com nossas frustrações.
  5. as oportunidades perdidas devem ser recuperadas para uma vida satisfatória.

A resposta correta é B “uma compreensão maior das decepções e dos desejos não realizados pode nos ajudar a viver melhor” de acordo com o trecho “…, the book suggests that a broader understanding of life’s inevitable disappointments and thwarted desires can enable us to live fuller, richer lives.”

  1. FUVEST 2020 – 25

TEXTO PARA AS QUESTÕES 25, 26 E 27:

Assigning female genders to digital assistants such as Apple’s Siri and Amazon’s Alexa is helping entrench harmful gender biases, according to a UN agency. Research released by Unesco claims that the often submissive and flirty responses offered by the systems to many queries – including outright abusive ones – reinforce ideas of women as subservient. “Because the speech of most voice assistants is female, it sends a signal that women are obliging, docile and eager‐to‐ please helpers, available at the touch of a button or with a blunt voice command like ‘hey’ or ‘OK’”, the report said. “The assistant holds no power of agency beyond what the commander asks of it. It honours commands and responds to queries regardless of their tone or hostility. In many communities, this reinforces commonly held gender biases that women are subservient and tolerant of poor treatment.” The Unesco publication was entitled “I’d Blush if I Could”; a reference to the response Apple’s Siri assistant offers to the phrase: “You’re a slut.” Amazon’s Alexa will respond: “Well, thanks for the feedback.” The paper said such firms were “staffed by overwhelmingly male engineering teams” and have built AI (Artificial Intelligence) systems that “cause their feminised digital assistants to greet verbal abuse with catch‐me‐if‐you‐can flirtation”. Saniye Gülser Corat, Unesco’s director for gender equality, said: “The world needs to pay much closer attention to how, when and whether AI technologies are gendered and, crucially, who is gendering them.” (The Guardian, May, 2019. Adaptado)

Questão 25 – Conforme o texto, em relação às mulheres, um efeito decorrente do fato de assistentes

digitais reforçarem estereótipos de gênero é:

  1.  a inclusão de uma única voz nos dispositivos.
  2.  a normalização de formas de assédio sexista.
  3.  o poder de influência positiva sobre as pessoas.
  4.  o incremento de vendas e customização de robôs.
  5.  a busca por formas que reflitam problemas sociais.

A resposta correta é B pois a normalização de formas de assédio sexista é a única coisa citada como efeito decorrente deste fato no texto. Esta é uma questão de interpretação geral, não necessariamente ligada a uma ou mais frases particularmente. É importante interpretar corretamente o texto em inglês, assim como a questão em português. 

O efeito decorrente mencionado é o próprio assunto do texto, ou seja, não há exatamente isto escrito em inglês no texto, mas é a única interpretação possível.

A menção de situações de abuso serve de exemplo para reforçar os problemas com não somente o fato das vozes das assistentes digitais serem femininas, como o tipo de respostas que estão programadas para dar – base de dados criada por equipes majoritariamente masculinas.

  1. FUVEST 2020 – 26

Segundo o texto, o título do relatório publicado pela Unesco ‐ “I´d Blush if I Could” ‐, no que diz respeito aos assistentes digitais, indica

  1.  resposta padrão para comandos que incluem impropérios.
  2.  capacidade tecnológica para selecionar temas sensíveis ao grande público.
  3.  preocupação dos fabricantes de dispositivos eletrônicos com usuários conservadores.
  4.  perda de controle das formas de interação entre seres humanos e máquinas.
  5.  necessidade de elaboração de sistemas integrados de reconhecimento de voz.

A resposta correta é A pois “Eu me envergonharia se eu pudesse” (a tradução do título referido) diz respeito à resposta padrão da Alexa da Amazon, “Well, thanks for the feedback”, para insultos ou ofensas, ou seja, impropérios.

  1. FUVEST 2020 – 27

De acordo com o texto, na opinião de Saniye Gülser Corat, tecnologias que envolvem Inteligência Artificial, entre outros aspectos,

  1.  são desenvolvidas segundo normas prescritas em convenções internacionais.
  2.  devem ser monitoradas por empresas multinacionais geridas por mulheres.
  3.  funcionam melhor quando associadas a dispositivos sincronizados em escala mundial.
  4.  dependem de atualização constante para garantia de desempenho satisfatório.
  5.  requerem avaliação ampla, quanto à possível presença de elementos tendenciosos em sua concepção.

A única alternativa que apresenta uma opinião de Saniye Corat é E, como pode ser observado ao fim do texto, na passagem: Saniye Gülser Corat, Unesco’s director for gender equality, said: “The world needs to pay much closer attention to how, when and whether AI technologies are gendered and, crucially, who is gendering them.”

  1. FUVEST 2020 – 28

O efeito de comicidade que se obtém do meme decorre, sobretudo, da

  1.  repetição da palavra “never”.
  2.  ambiguidade gerada pela expressão “buy her flowers”.
  3.  asserção “your wife says”.
  4.  contradição presente na frase “To be honest”.
  5.  pergunta “is that true?”

A resposta correta é B ambiguidade gerada pela expressão “buy her flowers”. A ambiguidade em questão é o fato de que “her” pode ser “para ela” (buy her flowers = comprar flores para ela), tanto quanto “as dela” (buy her flowers = comprar as flores dela).

Confira os exemplos para cada caso:

“The florist is a very nice lady. You should buy her flowers!”

(A floresta é uma mulher muito simpática. Você deveria comprar as flores dela!)

“She’s your wife and it’s Valentine’s Day! You should buy her flowers…”

(Ela é sua esposa e é Dia dos Namorados! Você deveria comprar flores para ela…)

  1. FUVEST 2020 – 29

Questão 29 – Afirma‐se no texto que, no futuro, a tecnologia de gravação em moléculas de DNA

  1. será utilizada para sequenciar trilhões de moléculas destinadas à pesquisa médica.
  2. deverá ter seu uso expandido no campo da genética e áreas afins.
  3. continuará sendo inviável comparada a tecnologias convencionais.
  4. terá de ser adaptada para o propósito de ler, codificar e guardar dados.
  5. poderá ser a solução para o problema de espaço de armazenamento de informação digital.

A resposta correta é a E pois, em continuidade ao enunciado, seria o complemente de uma tradução para a passagem “If successful, DNA storage could be the answer to a uniquely 21st Century problem: data overload.”

  1. FUVEST 2020 – 30

Questão 30 – Conforme o texto, cientistas preveem que, em pouco mais de 20 anos,

  1. a geração de dados pela humanidade chegará à marca de 160 zettabytes.
  2. a armazenagem de todos os dados produzidos esgotará o estoque mundial de microchips de silício.
  3. a densidade das moléculas de DNA terá aumentado exponencialmente.
  4. o custo para gravação de dados digitais será maior que hoje.
  5. as novas tecnologias de informação serão bem mais duradouras que as atuais..

A alternativa B traz o sentido da passagem: “Current infrastructure can only handle only a fraction of the coming data deluge, which is expected to consume all of the world’s microchip-grade silicon by 2040.”

  1. FUVEST 2020 – 31

Questão 31 – As tentativas de resposta do poeta à pergunta “What happens to a dream deferred?” evocam imagens de

  1. animosidade e revolta.
  2. remorso e compaixão.
  3. deterioração e destruição.
  4.  empatia e complacência.
  5.  aprisionamento e passividade. 

A questão demanda a interpretação correta do poema, onde é necessário notar que o sonho adiado (dream deferred) pode se tornar algo seco (dry up like a raisin), fedido como uma carne podre (rotten meat), entre outras metáforas que aludem diretamente à deterioração e destruição.

  1. FUVEST 2021 – 56

TEXTO PARA QUESTÕES 56, 57 E 58

As astronomers gaze into the depths of space, they do so with unease: They don’t know precisely what the universe is made of.

Surprisingly, no one knows the stars’ exact chemical composition: how many carbon, nitrogen and oxygen atoms they have relative to hydrogen, the most common element.

These numbers are crucial, because they affect how stars live and die, what types of planets form and even how readily life might arise on other worlds.

Twenty years ago, astronomers expressed confidence in the numbers they had been working with. Now, not so much. The problem lies not in the far corners of the cosmos, but much closer to home. Astonishingly, scientists don’t know exactly what the sun is made of. As a result, they don’t know what the other stars are made of, either.

“The sun is a fundamental yardstick,” says Martin Asplund, an astrophysicist at the Max Planck Institute for Astrophysics in Garching, Germany. “When we determine the abundance of a certain element in a star or a galaxy or a gas cloud anywhere in the universe, we use the sun as a reference point.”

The sun’s location in the Milky Way also makes it a good representative of the entire galaxy. most stars in the universe reside in giant galaxies like the Milky Way, which makes the sun a touchstone for the entire cosmos.

For nearly a century, astronomers have judged stars normal or not by seeing whether their chemical compositions match the sun’s. Most stars near us do; some don’t.

Scientific American. 1 July 2020. Adaptado.

Questão 56 – Segundo o texto, conhecer a composição de elementos químicos que constituem as estrelas é fundamental, pois ela, entre outros aspectos,

  1. fornece evidências da ligação entre as idades das estrelas.
  2. sugere a existência de planetas rochosos formados por elementos pesados.
  3. influencia na possibilidade de presença de vida em outros locais do universo.
  4. determina condições cosmológicas da evolução de aglomerados estrelares.
  5. possibilita a síntese de moléculas em nuvens de gás e poeira cósmica.

A resposta correta é C conforme a passagem: “These numbers are crucial, because they affect how stars live and die, what types of planets form and even how readily life might arise on other worlds.”

  1. FUVEST 2021 – 57

Questão 57 – No texto, o astrofísico Martin Asplund emprega a frase “The sun is a fundamental yardstick”, por considerar o Sol

  1. um mistério.
  2. uma estrutura.
  3. um processo.
  4. um sistema.
  5. um parâmetro.

A resposta correta é E, pois yardstick significa parâmetro, critério, referência. Apesar de outros adjetivos serem usados no texto em relação ao sol, o que pode levar à confusão principalmente com a alternativa A, porém o trecho com a fala de Martin Asplund no texto refere-se à comparação de outras estrelas com o Sol.

  1. FUVEST 2021 – 58

Questão 58 – Conforme o texto, um critério tradicionalmente utilizado por astrônomos para avaliar estrelas envolve

  1. verificar se sua composição se assemelha à do Sol.
  2. selecionar galáxias compostas por estrelas padrão.
  3. calcular níveis de radiação estrelar e de energia gravitacional.
  4. medir a densidade e grau de opacidade de nêutrons.
  5. testar a circulação atmosférica em torno dos astros.

A questão 58 refere-se à mesma ideia mencionada na questão 57.

  1. FUVEST 2021 – 59

TEXTO PARA QUESTÕES 59 E 60

I knew TikTok existed, I didn’t even fully understand what it was until a few months ago. I also realized that something radical, yet largely invisible, is ­happening on the internet — with implications we still don’t understand.

When I was growing up, I took it for granted that the people who became famous enough to be listened to by a crowd had worked hard for that accolade and generally operated with the support of an institution or an established industry.

The idea that I, as a teenager in my bedroom, might suddenly communicate with 100,000 people or more, would have seemed bizarre.

Today’s kids no longer see life in these hierarchical and institutional terms. Yes, their physical worlds are often constrained by parental controls, a lack of access to the outdoors and insane over-scheduling.

But despite that (or, more accurately, in reaction to that), they see the internet as a constantly evolving frontier, where it is still possible for a bold and lucky pioneer to grab some land or find a voice. Please use the sharing tools found via the share button at the top or side of articles. Most voices on the internet never travel beyond a relatively small network, and much of the content that goes viral on platforms such as TikTok, YouTube or Instagram does so because of unseen institutions at work (for example, a public relations team aiming to boost a celebrity’s profile).

Fame can suddenly appear — and then just as suddenly be taken away again, because the audience gets bored, the platform’s algorithms change or the cultural trend that a breakout video has tapped into goes out of fashion.

For a teenager, social media can seem like a summer garden at dusk filled with fireflies: spots of lights suddenly flare up and then die down, moving in an unpredictable, capricious display.

Is this a bad thing? We will not know for several years.

Financial Times. 5 February 2020. Adaptado.

Questão 59 – Conforme o texto, um aspecto associado ao caráter efêmero da popularidade de um usuário da internet, relativo ao uso de plataformas como o TikTok, é

  1. a falta de conhecimento técnico dos adolescentes para o manejo de hardware.
  2. a perda de interesse do público pelas publicações até então atrativas.
  3. a competição entre usuários com atitudes pouco éticas.
  4. a variedade limitada dos vídeos postados, em razão do tratamento precário das imagens.
  5. a alta capacidade dos vídeos para viralizar entre grupos com interesses conflitantes.

O aspecto de efemeridade da popularidade no TikTok mencionado no texto está na seguinte passagem: “Fame can suddenly appear — and then just as suddenly be taken away again, because the audience gets bored, the platform’s algorithms change or the cultural trend that a breakout video has tapped into goes out of fashion.”

As expressões “the audience gets bored”, “the trend … goes out of fashion” e a afirmação inicial de que a fama pode aparecer repentinamente e, tão rápido quanto chegou, desaparecer, quer dizer exatamente o que está escrito na alternativa B.

  1. FUVEST 2021 – 60

Questão 60 – No texto, a referência a um jardim de verão ao entardecer, repleto de vagalumes, sugere que, para os adolescentes, as mídias sociais

  1. são fonte de pressão e tensão na família.
  2. favorecem a comunicação dos mais tímidos.
  3. são pautadas por certa imprevisibilidade.
  4. garantem a funcionalidade de grupos.
  5. promovem igualdade de expressão.

No penúltimo parágrafo do texto, palavras como “garden”, “dusk” e “fireflies” então ligadas à “flare up”, “die down” e “unpredictable”: os vagalumes acendem e apagam de forma imprevisível. A reposta correta é C.

  1. FUVEST 2021 – 61

I ain’t gonna work on Maggie’s farm no more

No, I ain’t gonna work on Maggie’s farm no more

Well, I wake in the morning

Fold my hands and pray for rain

I got a head full of ideas

That are drivin’ me insane

It’s a shame the way she makes me scrub the floor

I ain’t gonna work on Maggie’s farm no more

I ain’t gonna work for Maggie’s brother no more

I ain’t gonna work for Maggie’s brother no more

Well, he hands you a nickel

He hands you a dime

He asks you with a grin

If you’re havin’ a good time

Then he fines you every time you slam the door

I ain’t gonna work for Maggie’s brother no more

I ain’t gonna work for Maggie’s pa no more

No, I ain’t gonna work for Maggie’s pa no more

Well, he puts his cigar out in your face just for kicks

His bedroom window it is made out of bricks

The National Guard stands around his door

Ah, I ain’t gonna work for Maggie’s pa no more, alright

Bon Dylan, “Maggie’s Farm”, do álbum Bringing it all home, 1965.

Questão 61 – Nestes estrofes, o conjunto de cenas descritas mostra que a principal dificuldade experimentada pela pessoa cuja história é contada na letra da música refere-se

  1. ao relacionamento difícil com familiares e amigos.
  2. à falta de criatividade diante das exigências do trabalho.
  3. às restrições impostas a sua liberdade e expressão pessoal.
  4. à competição por salários mais altos com colegas de trabalho.
  5. às dificuldades de viver fora de um grande centro urbano.

A resposta correta é C, apesar de ser relativamente complexo interpretar a letra desta música. De fato, falta de criatividade ou estímulos nas tarefas, como menciona a alternativa B, assim como questões do meio rural, como menciona a alternativa E, são parte do cenário apresentado por Bob Dylan na narrativa, mas a principal dificuldade, especificamente, experimentada pela pessoa é a restrição à liberdade e expressão, conforme os trechos reforçam:

“I got a head full of ideas

That are drivin’ me insane

It’s a shame the way she makes me scrub the floor”

“He hands you a dime

He asks you with a grin

If you’re havin’ a good time

Then he fines you every time you slam the door”

A narrativa descreve situações de abuso no ambiente de trabalho. Estas histórias menores (dentro da maior) tem uma coisa em comum: mostram como a personagem não é livre para se expressar e nem mesmo respeitada neste espaço.

  1. FUVEST 2021 – 62

Leia os provérbios:

1. Don’t count your chickens before they lay eggs.

2. Don’t bite the hand that feeds you.

3. Every cloud has a silver lining.

Questão 62 – A alternativa que melhor expressa a ideia contida em cada um dos três provérios, na ordem em que aparecem, é:

  1. Esperteza; desconfiança; foco.
  2. Precipitação; ingratidão; esperança.
  3. Observação; certeza; experiência.
  4. Exagero; harmonia; desaprovação.
  5. Orgulho; desprezo; teimosia.

A resposta correta é B, conforme as traduções:

“Não conte suas galinhas antes de que ponham ovos” (literal) → equivale ao nosso provérbio “Não conte com os ovos dentro da galinha”, que aconselha a evitar ser precipitado.

“Não morda a mão que te alimenta” (literal) → equivale ao nosso provérbio “Não cuspa no prato em que comeu”, que aconselha a evitar ser ingrato.

“Toda nuvem tem contorno prateado” (literal) → equivale a “Tudo tem um lado positivo”, que condiz com o conceito de esperança.

  1. FUVEST 2012 – 53

TEXTO PARA QUESTÕES 53, 54 E 55

JUST 10 YEARS INTO A NEW CENTURY, MORE THAN TWO-thirds of the country sees the past decade as a period of decline for the U.S., according to a new TIME/Aspen Ideas Festival poll that probed Americans on the decade since the tragic events of Sept. 11, 2001. Osama bin Laden is dead and al-Qaeda seriously weakened, but the impact of the 9/11 attacks and the decisions that followed have, in the view of most Americans, put the U.S. in a tailspin that the country has been unable to shake during two administrations and almost 10 years of trying.

ACCORDING TO THE POLL, ONLY 6% OF MORE THAN 2,000 Americans believe the country has completely recovered from the events of 9/11. Some of this pessimism can be tied to fears of more terrorist attacks. Despite the death of bin Laden, most Americans think another terrorist attack in the U.S. is likely.

Questão 53 – A pesquisa descrita no texto mostrou que a maioria dos norte-americanos

  1. está satisfeita com as respostas dos EUA aos ataques de 11 de setembro de 2001.
  2. avalia a última década nos EUA de forma desfavorável.
  3. pede ao governo ações mais efetivas de combate ao terrorismo.
  4. acredita que, desde os ataques de 11 de setembro de 2001, o governo conseguiu melhorar sua imagem.
  5. espera que o país supere, completamente, o trauma dos ataques de 11 de setembro de 2001.

A resposta correta é B, conforme o que está escrito no primeiro parágrafo do texto: “JUST 10 YEARS INTO A NEW CENTURY, MORE THAN TWO-thirds of the country sees the past decade as a period of decline for the U.S”.
Dois terços (two-thirds) é a maioria dos norte-americanos e ver a última década nos EUA como um período de declínio (decline) indica uma avaliação desfavorável do período.

  1. FUVEST 2012 – 54

Questão 54 – A sequência “most Americans think another terrorist attack in the U.S. is likely” significa que, para a maioria dos norte-americanos, outro ataque terrorista nos EUA é

  1. iminente.
  2. muito temido.
  3. impensável.
  4. provável.
  5. uma incógnita.

Para responder corretamente esta questão é necessário saber que “likely” significa “provável”, a exata palavra na alternativa D.

  1. FUVEST 2012 – 55

Questão 55 – Com base nos gráficos que acompanham o texto, é correto afirmar que, para os norte-americanos,

  1. o evento de 11 de setembro de 2001 é mais significativo que outros eventos ocorridos na última década.
  2. a morte de Osama bin Laden reduz o receio de novos ataques terroristas contra os EUA.
  3. o governo de Obama é avaliado com pessimismo e descrédito, hoje.
  4. o risco de um ataque praticado por terroristas internos é maior que o de um ataque praticado por terroristas externos.
  5. a recessão econômica tem relação com os ataques e as ameaças sofridos pelos EUA.

Observando os gráficos, percebe-se que 41% dos norte-americanos considera o 11 de setembro como o mais significativo dos eventos da última década. No primeiro gráfico, este percentual está em contraste com os dos demais itens, todos menores. Dentre as opções, a única que indica uma interpretação plausível aos gráficos é a alternativa A.

  1. FUVEST 2012 – 56

TEXTO PARA QUESTÕES 56 E 57

Although robots have made great strides in manufacturing, where tasks are repetitive, they are still no match for humans, who can grasp things and move about effortlessly in the physical world.

Designing a robot to mimic the basic capabilities of motion and perception would be revolutionary, researchers say, with applications stretching from care for the elderly to returning overseas manufacturing operations to the United States (albeit with fewer workers).

Yet the challenges remain immense, far higher than artificial intelligence obstacles like speaking and hearing. “All these problems where you want to duplicate something biology does, such as perception, touch, planning or grasping, turn out to be hard in fundamental ways,” said Gary Bradski, a vision specialist at Willow Garage, a robot development company based in Silicon Valley. “It’s always surprising, because humans can do so much effortlessly.”

http://www.nytimes.com, July 11, 2011. Adaptado

Questão 56 – Segundo o texto, um grande desafio da robótica é

  1. não desistir da criação de robôs que falem e entendam o que ouvem.
  2. melhorar a capacidade dos robôs para a execução de tarefas repetitivas.
  3. não tentar igualar as habilidades dos robôs às dos seres humanos.
  4. voltar a fabricar robôs que possam ser comercializados pela indústria norte-americana.
  5. projetar um robô que imite as habilidades básicas de movimento e percepção dos seres humanos.

A resposta correta é E conforme o segundo parágrafo do texto, “Designing a robot to mimic the basic capabilities of motion and perception would be revolutionary”, onde é afirmado que desenvolver um robô que imite as habilidades básicas de movimento e percepção seria revolucionário. Interpreta-se que este é, portanto, um grande desafio.

  1. FUVEST 2012 – 57

Questão 57 – De acordo com o texto, o especialista Gary Bradski afirma que

  1. a sua empresa projetou um robô com capacidade de percepção.
  2. os robôs já estão bem mais desenvolvidos, atualmente.
  3. a construção de robôs que reproduzam capacidades biológicas é difícil.
  4. as pessoas podem ser beneficiadas por robôs com capacidade de planejamento.
  5. a habilidade das pessoas em operar robôs sofisticados é surpreendente.

A resposta correta é C pois Gary Bradski afirma, no terceiro parágrafo do texto, que todos os problemas que decorrem da tentativa de construir robôs que reproduzem algo biológico são geralmente muito complexos.

  1. FUVEST 2013 – 86

TEXTO PARA QUESTÕES 86, 87 E 88

Time was, advertising was a relatively simple undertaking: buy some print space and airtime, create the spots, and blast them at a captive audience. Today it’s chaos: while passive viewers still exist, mostly we pick and choose what to consume, ignoring ads with a touch of the DVR remote. Ads are forced to become more like content, and the best aim to engage consumers so much that they pass the material on to friends – by email, Twitter, Facebook – who will pass it on to friends, who will… you get the picture. In the industry, “viral” has become a usefully vague way to describe any campaign that spreads from person to person, acquiring its own momentum.

It’s not that online advertising has eclipsed TV, but it has become its full partner – and in many ways the more substantive one, a medium in which the audience must be earned, not simply bought.

Newsweek, March 26 & April 2, 2012. Adaptado.

Questão 86 – De acordo com o texto, a indústria publicitária

  1. passou a criar anúncios mais curtos.
  2. deixou de comprar tempo na TV devido ao aumento de custo por minuto.
  3. foi forçada a se modificar em função das novas tecnologias.
  4. aumentou sua audiência cativa.
  5. começou a privilegiar a forma em vez de conteúdos.

Ao analisar o trecho “Ads are forced to become more like content, and the best aim to engage consumers so much that they pass the material on to friends…” fica claro que a indústria publicitária não tem escolha, além de se ser forçada a se modificar e adaptar-se às novas tecnologias, tornando-se conteúdo passível de viralização na internet. Portanto, a alternativa correta é C.

  1. FUVEST 2013 – 87

Questão 87 – No texto, a palavra “viral” refere-se a

  1. campanhas publicitárias divulgadas entre usuários de mídias eletrônicas.
  2. vírus eletrônicos acoplados a anúncios publicitários.
  3. mensagens de alerta aos consumidores para os riscos de determinados produtos.
  4. mídias eletrônicas que têm dificuldade em controlar a disseminação de vírus.
  5. quantidades de anúncios que congestionam as caixas postais dos usuários de correio eletrônico.

Conforme o texto, a alternativa correta é A, pois a descrição de viral é exatamente algo que é compartilhado de pessoa para pessoa nas redes sociais. A expressão-chave na alternativa é “divulgadas entre usuários”.

Verificamos a afirmação no trecho: “In the industry, “viral” has become a usefully vague way to describe any campaign that spreads from person to person, acquiring its own momentum.”

  1. FUVEST 2013 – 88

Questão 88 – Afirma-se, no texto, que, diferentemente da TV, na publicidade online a audiência tem de ser

  1. partilhada.
  2. valorizada.
  3. comprada.
  4. multiplicada.
  5. conquistada.

A resposta correta é E conquistada, conforme o parágrafo final do texto: “It’s not that online advertising has eclipsed TV, but it has become its full partner – and in many ways the more substantive one, a medium in which the audience must be earned, not simply bought.”

Em comparação à TV, a publicidade online é considerada, no texto, algo com mais substância, e o motivo para esta percepção é o fato da audiência precisar ser conquistada (earned), ao invés de comprada (bought).

  1. FUVEST 2019 – 73

TEXTO PARA QUESTÕES 73, 74 E 75

What time is it? That simple question probably is asked more

       often today than ever. In our clock‐studded, cell‐phone society,

       the answer is never more than a glance away, and so we can

       blissfully partition our days into ever smaller increments for ever

5     more tightly scheduled tasks, confident that we will always

       know it is 7:03 P.M.

       Modern scientific revelations about time, however, make

       the question endlessly frustrating. If we seek a precise

       knowledge of the time, the elusive infinitesimal of “now”

10   dissolves into a scattering flock of nanoseconds. Bound by the

       speed of light and the velocity of nerve impulses, our

       perceptions of the present sketch the world as it was an instant

       ago—for all that our consciousness pretends otherwise, we can

       never catch up.

15   Even in principle, perfect synchronicity escapes us. Relativity

       dictates that, like a strange syrup, time flows slower on moving

       trains than in the stations and faster in the mountains than in

       the valleys. The time for our wristwatch or digital screen is not

       exactly the same as the time for our head.  

20   Our intuitions are deeply paradoxical. Time heals all

        wounds, but it is also the great destroyer. Time is relative but

        also relentless. There is time for every purpose under heaven,

        but there is never enough.  

                                                       Scientific American, October 24, 2014. Adaptado.

Questão 73 – No texto, a pergunta “What time is it?” (L. 1), inserida no debate da ciência moderna sobre a noção de tempo,  

  1. corrobora a crença de que a passagem do tempo é uma garantia de renovação para a humanidade.
  2. consiste na prova de que “o agora” é a realização de uma troca harmoniosa com o mundo
  3. representa a obsessão dos seres humanos pelo controle da vida com auxílio do relógio.
  4. revela o esforço empreendido pelas pessoas na distribuição das tarefas ao longo do dia.
  5. mostra o descompasso e a imprecisão relativos à percepção do presente e do passado.

Em relação ao debate da ciência moderna sobre o tempo, o texto afirma: “If we seek a precise knowledge of the time, the elusive infinitesimal of “now” dissolves into a scattering flock of nanoseconds. Bound by the speed of light and the velocity of nerve impulses, our perceptions of the present sketch the world as it was an instant ago—for all that our consciousness pretends otherwise, we can never catch up.”

Ao descrever o intuito de buscar uma noção precisa de tempo (seek a precise knowledge of the time) como a ilusão do “agora” que se dissolve em nanosegundos, já se dá a ideia de imprecisão. No mais, a expressão “we can never catch up” traz claramente a ideia de descompasso, incapacidade de acompanhar.

  1. FUVEST 2019 – 74

Questão 74 – No texto, a expressão que melhor representa o caráter supostamente exato do tempo é:

  1. “In our clock‐studded, cell‐phone society” (L. 2).
  2. “never more than a glance away” (L. 3).
  3. “confident that we will always know it is 7:03 P.M.” (L. 5‐6).
  4. “Bound by the speed of light” (L. 10‐11).
  5. “like a strange syrup” (L. 16).

A resposta correta é C pois é a única que traz um trecho que fala exatamente da suposição de exatidão. A frase traduz-se como “confiantes de que sempre saberemos que é 7:03 da noite.”

“Confident” sendo usada juntamente do fato de saber um horário exato (7:03) indica um caráter supostamente exato do tempo de forma geral.

  1. FUVEST 2019 – 75

Questão 75 – De acordo com o texto, considera‐se contraditório, em relação à percepção humana do tempo,

  1. seu poder de cura e destruição.
  2. sua natureza pública e privada.
  3. seu caráter ordenado e irregular.
  4. seu sentido de submissão e liberdade.
  5. seu grau de abundância e desperdício.

Os paradoxos (ou contradições) da percepção humana do tempo são apresentados ao fim do texto, no trecho “ Our intuitions are deeply paradoxical. Time heals all wounds, but it is also the great destroyer. Time is relative but also relentless. There is time for every purpose under heaven, but there is never enough”

Analisando as três frases que indicam paradoxos, somente a primeira está descrita também nas alternativas da questão, em A seu poder de cura e destruição (O tempo cura todas as feridas, mas também é o maior destruidor.)

  1. FUVEST 2019 – 76

TEXTO PARA QUESTÕES 76, 77, 78 E 79

Questão 76 – De acordo com o texto, para ingresso nos Estados Unidos, o cruzamento da fronteira entre este país e o México, no local denominado The Gateway International Bridge, é

  1. dificultado para alguns migrantes.
  2. negado para casos de reincidentes.
  3. adiado para os migrantes que seguem as regras.
  4. condicionado à nacionalidade do solicitante.
  5. liberado para os migrantes com documentação válida.

A resposta correta é A pois o cruzamento da fronteira é dificultado para alguns, não para todos. Verifica-se a afirmação no primeiro parágrafo do texto, onde diz-se que para a maioria das pessoas, a ponte funciona normalmente, mas para uma dúzia, não.

  1. FUVEST 2019 – 77

Questão 77 – A frase nominal “this kind of barrier” (L. 14‐15) refere‐se 

  1. ao muro de Trump na fronteira com o México.
  2. à ponte The Gateway International Bridge.
  3. a protestos de migrantes na fronteira.
  4. ao muro invisível criado por práticas do governo Trump.
  5. a medidas adotadas nos tribunais de imigração.

O texto fala sobre a construção de um muro invisível, ao invés de muro de fato prometido por Trump em campanha. No trecho “The President’s characterization of the wall was false, but his Administration has effectively erected an invisible one” lemos exatamente isso, portanto a alternativa correta é D para descrever “este tipo de barreira” (this kind of barrier).

  1. FUVEST 2019 – 78

Questão 78 – Segundo o texto, após ingresso nos Estados Unidos, os migrantes que requerem asilo

  1. têm seu processo julgado com mais rapidez.
  2. precisam comprovar sua idoneidade.
  3. aguardam na fronteira, onde sua petição é avaliada.
  4. são mais determinados a permanecer no país.
  5. têm seu pedido negado com frequência.

A resposta correta é E, conforme o trecho “… and the vast majority (for asylum) are rejected”, que se refere aos pedidos de imigração recebidos pelos EUA.

  1. FUVEST 2019 – 79

Questão 79 – Com base no texto e nos fatos que envolveram a política imigratória dos EUA em junho de 2018, é correto afirmar:

  1. O presidente Donald Trump, por pressão do Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU), flexibilizou a punição aos imigrantes ilegais, passando a tratar os casos em cortes de imigração e não mais por meio de indiciamento criminal.
  2. O presidente Donald Trump finalizou a construção do muro na fronteira México‐EUA, desde a costa leste até a oeste, com o objetivo de conter a nova onda imigratória de venezuelanos e hondurenhos.
  3. Imigrantes mexicanos que seguiram as regras oficiais para imigração nos EUA obtiveram concessão de asilo político em curto prazo, especialmente nas cortes da Califórnia, tradicional reduto conservador e base eleitoral do presidente Donald Trump.
  4. A construção de uma barreira física entre México e EUA visa, segundo o presidente Donald Trump, consolidar um estado fronteiriço, no qual os imigrantes deverão permanecer algum tempo antes de ingressarem em outras partes do país.
  5. As barreiras construídas entre México e EUA são, além de físicas, também psicológicas, como pôde ser visto no caso em que milhares de crianças imigrantes foram separadas de suas famílias.

A resposta correta é E pois é a única que contém informação verdadeira. Em A, “flexibilizou” já indica erro. Em B, “finalizou a construção” indica erro. Em C, novamente há erro na afirmação de flexibilização gerando obtenção de asilo. Em D, há menção de um estado fronteiriço, algo inventado. Finalmente, em E, há a interpretação plausível de impacto psicológico negativo decorrente de ações extremas, como o fato de que crianças foram separadas das famílias.

  1. FUVEST 2018 – 86

TEXTO PARA QUESTÕES 86, 87 E 88

It’s a perilous time to be a statue. Not that it has ever been a particularly secure occupation, exposed as statues are to the elements, bird droppings and political winds. 

Just ask Queen Victoria, whose rounded frame perches atop hundreds of plinths across the Commonwealth, with an air of solemn, severe solidity. But in 1963 in Quebec, members of a separatist paramilitary group stuck dynamite under the dress of her local statue. It exploded with a force so great that her head was found 100 yards away. 

Today, the head is on display in a museum, with her body preserved in a room some miles away. The art historian Vincent Giguère said that “the fact it’s damaged is what makes it so important.” 

There’s another reason to conserve the beheaded Victoria. Statues of women, standing alone and demanding attention in a public space, are extremely rare. 

To be made a statue, a woman had to be a naked muse, royalty or the mother of God. Or occasionally, an icon of war, justice or virtue: Boadicea in her chariot in London, the Statue of Liberty in New York. 

Still, of 925 public statues in Britain, only 158 are women standing on their own. Of those, 110 are allegorical or mythical, and 29 are of Queen Victoria.

Julia Baird, The New York Times. September 4, 2017. Adaptado

Questão 86 – Conforme o texto, o grau de importância atribuído à estátua da rainha Vitória, em Québec, reside no fato de a escultura

  1. estar em processo de restauração.
  2. ter sobrevivido às intempéries ao longo dos anos.
  3. pertencer a um grupo de réplicas idênticas.
  4. ser a primeira a retratar uma autoridade feminina.
  5. ter sofrido danos em sua estrutura.

A resposta correta é E ter sofrido danos em sua estrutura, conforme o segundo parágrafo, onde está escrito: “members of a separatist paramilitary group stuck dynamite under the dress of her local statue.” É necessário interpretar corretamente o sentido geral do texto e identificar onde os danos na estrutura são mencionados diretamente.

  1. FUVEST 2018 – 87

Questão 87 – No texto, a figura da rainha Vitória é associada ao conceito de

  1. firmeza.
  2. eloquência.
  3. longevidade.
  4. beleza.
  5. maternidade.

A resposta correta é A pois, também no segundo parágrafo, o texto refere-se a estátua como tendo “an air of solemn, severe solidity”, ou seja, “um ar de solenidade, severa solidez”, que se aproxima mais com “firmeza” do que outras alternativas.

  1. FUVEST 2018 – 88

Questão 88 – No texto, a referência ao número de estátuas expostas em espaços públicos na Grã-Bretanha indica

  1. ênfase em personalidades alegóricas
  2. escassez de monumentos do gênero feminino.
  3. desapreço por esculturas de corpo inteiro.
  4. falta de espaço em museus para peças de grande porte.
  5. preferência por figuras de destaque em batalhas.

A resposta correta é B, conforme o parágrafo que introduz o número de estátuas e o anterior: “To be made a statue, a woman had to be a naked muse, royalty or the mother of God. Or occasionally, an icon of war, justice or virtue: Boadicea in her chariot in London, the Statue of Liberty in New York. Still, of 925 public statues in Britain, only 158 are women standing on their own. Of those, 110 are allegorical or mythical, and 29 are of Queen Victoria.”

Apesar da preferência por figuras de guerra ou a presença de figuras alegóricas sejam mencionadas, a referência específica ao número de estátuas serve como reforço da ideia da escassez de monumentos do gênero feminino.

  1. FUVEST 2018 – 89

TEXTO PARA AS QUESTÕES 89 E 90

Algorithms are everywhere. They play the stockmarket, decide whether you can have a mortgage and may one day drive your car for you. They search the internet when commanded, stick carefully chosen advertisements into the sites you visit and decide what prices to show you in online shops. (…) But what exactly are algorithms, and what makes them so powerful?

An algorithm is, essentially, a brainless way of doing clever things. It is a set of precise steps that need no great mental effort to follow but which, if obeyed exactly and mechanically, will lead to some desirable outcome. Long division and column addition are examples that everyone is familiar with—if you follow the procedure, you are guaranteed to get the right answer. So is the strategy, rediscovered thousands of times every year by schoolchildren bored with learning mathematical algorithms, for playing a perfect game of noughts and crosses. The brainlessness is key: each step should be as simple and as free from ambiguity as possible. Cooking recipes and driving directions are algorithms of a sort. But instructions like “stew the meat until tender” or “it’s a few miles down the road” are too vague to follow without at least some interpretation.

(…)

The Economist, August 30, 2017.

Questão 89 – No texto, um exemplo associado ao fato de algoritmos estarem por toda parte é

  1. o cartão de crédito.
  2. o livre mercado.
  3. a dieta.
  4. o jogo de xadrez.
  5. o comércio eletrônico.

A resposta correta é E pois há a menção de um exemplo de comércio eletrônico no texto quando as propagandas e os preços dos produtos mudam nos sites que visitamos, dependendo do histórico de navegação de quem está visitando. É possível excluir as demais alternativas ao perceber que não há menção de nenhuma delas, muito menos como um exemplo associado ao fato dos algoritmos estarem por toda parte.

  1. FUVEST 2018 – 90

Questão 90 – Segundo o texto, a execução de um algoritmo consiste em um processo que

  1. prevê a memorização de tabelas e fórmulas.
  2. envolve mecanismos de seleção e detecção de erros.
  3. se apoia em um número infinito de etapas.
  4. é incompatível com análises subjetivas e imprecisas.
  5. alterna níveis altos e baixos de esforço intelectual.

A resposta correta é D pois, logo após mencionar que é necessário que o algoritmo esteja o mais livre possível de ambiguidade (palavra que já nos remete aos conceitos de imprecisão e subjetividade), o texto traz o exemplo de receita culinárias, que seriam como algoritmos, mas que trazem instruções vagas demais para serem seguidas sem o mínimo de interpretação. A execução de um algoritmo, como uma receita, é incompatível com análises subjetivas e imprecisas, por isso ainda seguimos receitas culinárias, ao invés de introduzir um algoritmo à um robô que cozinha. Os humanos são capazes de interpretar direções levando em consideração suas imprecisões.

  1. FUVEST 2016 – 86

TEXTO PARA QUESTÕES 86 E 87

About half of the world’s population is at risk of contracting dengue, according to the World Health Organization. The mosquito is found in tropical and subtropical climates around the world; however, dengue does not naturally occur in these creatures: the mosquitoes get dengue from us. 

The mechanism of dengue infection is simple. Female mosquitoes bite humans because they need the protein found in our blood to produce eggs. (Male mosquitoes do not bite.) If the mosquito bites someone with dengue – and then, after the virus’s roughly eight to 12day replication period, bites someone else – it passes dengue into its next victim’s bloodstream. 

There is no vaccine against dengue, but infecting mosquitoes with a natural bacterium called Wolbachia blocks the insects’ ability to pass the disease to humans. The microbe spreads among both male and female mosquitoes: infected females lay eggs that harbor the bacterium, and when Wolbachiafree females mate with infected males, their eggs simply do not hatch. Researchers are now releasing Wolbachia infected females into the wild in Australia, Vietnam, Indonesia and Brazil.

Scientific American, June 2015. Adaptado

Questão 86 – De acordo com o texto, a infecção por dengue

  1. propaga-se quando mosquitos fêmeas picam seres humanos infectados e retransmitem a doença a outras pessoas.
  2. é provocada por mosquitos infectados depois do acasalamento.
  3. desenvolve-se por meio das fêmeas, que transmitem o vírus para os machos, num círculo vicioso que se repete periodicamente.
  4. desenvolve-se no corpo humano após doze dias da picada, período de incubação do vírus.
  5. altera a proteína presente no sangue humano que é procurada pelos mosquitos fêmeas.

A resposta correta é A pois esta é a única conclusão possível, entre as opções nas alternativas, após a interpretação correta do texto como um todo.

Mais especificamente, nos últimos dois parágrafos, há a explicação de como a transmissão da dengue se dá, a partir de “The mechanism…”

  1. FUVEST 2016 – 87

Questão 87 – Segundo o texto, a bactéria Wolbachia, se inoculada nos mosquitos, bloqueia a transmissão da dengue porque

  1. torna os machos estéreis.
  2. interfere no período de acasalamento dos mosquitos.
  3. impede a multiplicação do vírus nas fêmeas.
  4. impede a eclosão dos ovos que contêm o vírus.
  5. diminui a quantidade de ovos depositados pelas fêmeas.

A resposta corre é D, conforme a compreensão das palavras “ability” e “blocks” no contexto deste texto.

  1. FUVEST 2016 – 88

TEXTO PARA QUESTÕES 88, 89 E 90

Working for on-demand startups like Uber and TaskRabbit is supposed to offer flexible hours and higher wages, but many workers have found the pay lower and the hours less flexible than they expected. Even more surprising: 8 percent of those chauffeuring passengers and 16 percent of those making deliveries said they lack personal auto insurance.

Those are among the findings from a survey about the work life of independent contractors for ondemand startups, a booming sector of the tech industry, being released Wednesday.

“We want to shed light on the industry as a whole,” said Isaac Madan, a Stanford master’s candidate in bioinformatics who worked with two other Stanford students and a recent alumnus on the survey of 1,330 workers. “People need to understand how this space will change and evolve and help the economy.”

On-demand, often called the sharing economy, refers to companies that let users summon workers via smartphone apps to handle all manner of services: rides, cleaning, chores, deliveries, car parking, waiting in lines. Almost uniformly, those workers are independent contractors rather than salaried employees.

That status is the main point of contention in a recent rash of lawsuits in which workers are filing for employee status. While the survey did not directly ask contractors if they would prefer to be employees, it found that their top workplace desires were to have paid health insurance, retirement benefits and paid time off for holidays, vacation and sick days – all perks of full time workers. Respondents also expressed interest in having more chances for advancement, education sponsorship, disability insurance and human relations support. 

Because respondents were recruited rather than randomly selected, the survey does not claim to be representational but a conclusion one may come to is that flexibility of new jobs comes with a cost. Not all workers are prepared for that!

SFChronicle.com and SFGate.com, May 20, 2015. Adaptado.

Questão 88 – Segundo o texto, empresas do tipo “on-demand”

  1. têm pouco contato com seus prestadores de serviços, o que dificulta o estabelecimento de planos de carreira.
  2. são intermediárias entre usuários e prestadores de serviços acionados por meio de aplicativos.
  3. remuneram abaixo do mercado seus prestadores de serviços.
  4. exigem dos prestadores de serviços um número mínimo de horas trabalhadas por dia.
  5. estão crescendo em número, mas são criticadas pela qualidade de seus serviços.

A resposta correta é B conforme a interpretação correta do texto, em especial de seu quarto parágrafo, que explica o conceito de “on-demand”.

  1. FUVEST 2016 – 89

Questão 89 – Um dos resultados da pesquisa realizada com prestadores de serviços de empresas do tipo “on-demand” mostra que esses trabalhadores

  1. consideram a flexibilidade do horário de trabalho o ponto alto de sua opção profissional.
  2. pagam seus próprios seguros-saúde e planos de aposentadoria.
  3. investem no seu aprimoramento profissional para obter melhores ganhos no futuro.
  4. têm a opção de tirar férias quando desejarem, com o apoio das empresas e dos familiares.
  5. desejam ter os mesmos benefícios sociais que trabalhadores assalariados.

A resposta correta é E conforme o quinto parágrafo do texto. A principal passagem a respeito dos desejos destes trabalhadores é “their top workplace desires were to have paid health insurance, retirement benefits and paid time off for holidays, vacation and sick days – all perks of full time workers.”

  1. FUVEST 2016 – 90

Questão 90 – Outro resultado da mesma pesquisa indica que

  1. grande parte dos trabalhadores em empresas “on-demand” não pensa em ter um registro formal de trabalho.
  2. nem todos os trabalhadores em empresas “on-demand” estão preparados para arcar com o custo de sua flexibilidade no trabalho.
  3. muitos dos entrevistados que prestam serviços nas empresas “on-demand” também têm um trabalho formal.
  4. vários dos entrevistados buscam o trabalho “on-demand” por conta do status que ele proporciona.
  5. as vantagens de um emprego formal são menores se comparadas com as vantagens envolvidas no trabalho “ondemand”.

A resposta correta depende da interpretação correta do texto como um todo, além da atenção à frase final “Not all workers are prepared for that!”, que literalmente diz o que está na alternativa B.

  1. FUVEST 2015 – 40

TEXTO PARA QUESTÕES 40, 41 E 42

Questão 40 – O foco principal do texto são as

  1. várias distrações que se apresentam quando estamos dirigindo.
  2. estratégias que nosso cérebro utiliza para se concentrar em uma tarefa.
  3. informações que nosso campo visual precisa processar.
  4. decisões que tomamos quando queremos usar um caminho novo.
  5. várias tarefas que conseguimos realizar ao mesmo tempo.


A resposta correta é B conforme a interpretação correta do texto como um todo. No primeiro parágrafo, onde introduz-se situações de distração, não há a informação específica da concentração, mas os exemplos servem de introdução. Nos parágrafos seguintes, o assunto é sobretudo a questão da concentração.

 

  1. FUVEST 2015 – 41

Questão 41 – Segundo estudo publicado no Journal of Neuroscience, mencionado no texto, 

  1. nossa busca pela realização de tarefas diversas aumenta o número de pulsações elétricas produzidas pelo cérebro.
  2. os neurocientistas estão estudando como, sem grande esforço, conseguimos focalizar uma coisa de cada vez.
  3. as pulsações elétricas produzidas pelo cérebro são intensas e constantes.
  4. nosso cérebro reduz sua reação a estímulos que são menos relevantes para a tarefa a ser realizada, mantendo o foco.
  5. o tipo de resposta que nosso cérebro fornece frente a novas tarefas ainda é uma questão a ser respondida pelos pesquisadores.


A resposta correta é D conforme a passagem “Another mental trick…”, que explica a questão do foco resultar também de um processo cerebral onde as reações aos demais estímulos diminui, enquanto as reações à tarefa sendo realizada no momento aumentam.

  1. FUVEST 2015 – 42

Questão 42 – De acordo com o texto, a pesquisa mencionada pode

  1. colaborar para a compreensão de nossas atitudes frente a novas tarefas.
  2. ajudar pessoas que possuem diversos distúrbios mentais, ainda pouco conhecidos.
  3. ajudar pessoas que, normalmente, são muito distraídas e desorganizadas.
  4. colaborar para a compreensão do modo como enxergamos o mundo.
  5. colaborar para a compreensão do que ocorre no cérebro de pessoas com problema de atenção.

A resposta correta é E conforme o trecho “Such research may eventually help … understand … the brains of people with attention disorders”.

  1.  FUVEST 2015 – 43

Between now and 2050 the number of people living in cities will grow from 3.9 billion to 6.3 billion. The proportion of urban dwellers will swell from 54% to 67% of the world’s population, according to the UN. In other words, for the next 36 years the world’s cities will expand by the equivalent of sic São Paulos every year. This growth will largely occur in developing countries. But most governments there are ignoring the problem, says William Cobbett of the Cities Alliance, on NGO that supports initiatives such as the one launched by New York University to help cities make long-term preparations for their growth. “Whether we want it or not, urbanisation is inevitable,” say specialists. “The real question is: how can we improve its quality?”

The Economist, June 21st 2014. Adaptado.

Questão 43 – De acordo com o texto:

  1. a população rural crescerá na mesma proporção que a população urbana nos próximos 20 anos.
  2. a população, nas cidades, chegará a mais de 6 bilhões de pessoas até 2050
  3. a expansão de cidades como São Paulo é um exemplo do crescimento global
  4. a cidade de São Paulo cresceu seis vezes mais, na última década, do que o previsto por especialistas.
  5. o crescimento maior da população em centros urbanos ocorrerá em países desenvolvidos

A resposta correta é B conforme a frase inicial do texto. É necessário interpretar corretamente a expressão “Between now and 2050”, assim como “will grow from x to y”.


Não Fique de Fora:

E, se você está procurando algo definitivo, do básico a fluência, e nada que você já tentou deu certo. Veja se você já não viu essas opções que já ajudaram mais de 1300 pessoas a aprender inglês fluente. Clique no botão abaixo para ver:


redes sociais:

Recomendados para você:

    Últimos posts por Arantxa Pellicer Meira (exibir todos)
    Se inscreva
    Me notifique

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

    0 Comentários
    Comentários em linha
    Exibir todos os comentários