O combate ao bullying é algo que está em alta nos dias de hoje. É uma atitude que não é mais tolerada nas escolas e vem sendo cada vez mais recriminada. Porque, quem sofre bullying carrega esse peso por muito tempo, muitas vezes não conseguem se livrar dos traumas sofridos na infância e adolescência.

O bully é o agressor. É aquele menino mal, metido a valentão, que sai por aí machucando os outros, seja com provocações verbais ou até mesmo com violência física. É aquele cara que vemos nos filmes e séries pegando o dinheiro do lanche dos outros alunos, fazendo ameaças, fazendo piadinhas de mal gosto em voz alta, humilhando.

O curioso é que ele sempre escolhe vítimas menores e mais fracas do que ele. Estudos já comprovaram que o bully, em muitos casos, não passa de um jovem cheio de inseguranças, que muitas vezes passa por problemas em casa, mas que que se firmar como sendo o tal na escola, quer impor respeito à base do grito.

Geralmente ele anda cercado por sua turminha que o idolatra e faz tudo o que ele quer, sem saber de seus temores mais íntimos.

Uma coisa é fato: não há nada de engraçado ou de legal em ser um bully. Se você costuma agir assim, ainda dá tempo de refletir sobre que tipo de ser humano você quer ser na vida e mudar.

Se você sofre por causa de alguém assim, não se cale, converse com um professor ou com seus pais. Peça ajuda e se liberte desse inferno, antes que isso traga consequências graves para a sua vida.